Depois de aumentar a previsibilidade do preço das corridas, adotando o modelo de custo antecipado para os passageiros em 2016, o Uber anuncia agora o mesmo para motoristas: a partir desta semana, o valor pago por passageiros aos motoristas no fim de cada viagem vai levar em conta tempo e distância efetivamente realizados, com o sistema ajustando automaticamente o preço, independentemente das variações de estimativa.

• Uber recupera licença temporária para operar em Londres depois de prometer ser mais honesta
• As fraudes criativas no Uber e o que a empresa tem feito para combatê-las

Em comunicado enviado ao Gizmodo Brasil, o Uber exemplifica: “Se o preço antecipado considerou 5 km e 15 minutos, mas no final a viagem teve 5,5 km e 20 minutos, o motorista vai receber pelos 5,5 km e 20 minutos. Por outro lado, se a viagem tiver 4,5 km e 12 minutos, o motorista vai receber por esse tempo e distância realizados”.

Preço mínimo da viagem e multiplicador de preço dinâmico, quando necessário, seguem compondo o ganho do motorista, explica a empresa.

Para essa conta fechar, o Uber disse que vai acabar com a taxa fixa para motoristas de 25% no uberX e demais categorias e de 20% no UberBLACK. Essa taxa será variável, e a companhia afirma que o ganho líquido do motorista não sofrerá alterações, independentemente de uma variação maior ou menor. As diferenças de estimativas serão compensadas aos usuários.

Como exemplo de como isso vai acontecer, o Uber pega São Paulo como cenário: no modelo atual, o valor do km percorrido pelos motoristas é de R$ 1,40, do qual é descontada uma taxa de serviço de 25%, resultando no valor líquido de R$ 1,05. Com o fim da taxa fixa, o valor do km não tem mais desconto e passa a ser de R$ 1,05 líquidos.

O Uber anunciou ainda que o app dos motoristas será atualizado, mostrando detalhes financeiros, entre eles o ganho líquido, para que eles possam ver efetivamente quanto estão ganhando com as corridas.

Imagem do topo: Getty