A partir de amanhã (7), a Uber vai lançar uma série de iniciativas em São Paulo com foco em suas usuárias e motoristas mulheres. A principal novidade é que motoristas cadastradas na plataforma poderão optar por receber chamadas apenas de passageiras mulheres – uma funcionalidade que concorrentes, como a 99, já oferecem desde o ano passado. Para incentivar outras mulheres a se cadastrarem, a Uber também vai disponibilizar condições especiais para alugar carros, além de lançar uma plataforma educacional.

A ferramenta U-Elas aparecerá na área de preferências do aplicativo para as motoristas, podendo ser ativada ou desativada a qualquer momento. Quando ativada, ela limita as chamadas apenas a passageiras mulheres. No entanto, as passageiras ainda não terão a opção de escolher viagens apenas com motoristas mulheres.

GIF: Uber

Caso a motorista esteja com a funcionalidade U-Elas ligada e encontrar um homem solicitando a viagem na hora de buscar a passageira, a Uber afirma que é possível cancelar a viagem e indicar a opção ‘Viagem com passageiro homem’. Nesses casos, o cancelamento não irá prejudicar a avaliação da motorista.

GIF: Uber

Já para quem ainda não está cadastrada na plataforma, a Uber firmou uma parceria com a Localiza Hertz para oferecer 10% de desconto em qualquer carro no plano semanal de aluguel. Para essas potenciais motoristas que estão em busca de uma fonte de renda, a plataforma educativa da Uber vai promover cursos online sobre empoderamento pessoal e econômico, desenvolvidos em parceria com a Iniciativas Empreendedoras, a Rede Mulher Empreendedora e a economista Gabriela Mendes.

As iniciativas fazem parte do programa Elas na Direção, lançado no fim de 2019 e que já funciona em mais de 20 cidades. O projeto, que conta com a parceria da Rede Mulher Empreendedora, tem o objetivo de reduzir a desigualdade entre homens e mulheres no mercado. Segundo a Uber, até o fim de 2019, as mulheres representavam apenas 6% da base de motoristas cadastrados no Brasil. Alguns dos motivos listados pela empresa que explicam essa disparidade são: desafios de segurança, falta de visibilidade sobre ganhos e falta de conhecimento sobre o que é preciso para se cadastrar.

Atualmente, o programa Elas na Direção está disponível em 17 cidades brasileiras: Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Criciúma, Curitiba, Feira de Santana, Fortaleza, Goiânia, Joinville, Juiz de Fora, Manaus, Mogi Guaçu, Pelotas, Piracicaba, Porto Alegre, Recife e Salvador. Além de São Paulo, que recebe a novidade amanhã (7), a Uber afirma que planeja expandir o projeto para todo o Brasil ainda em 2020.