Na segunda-feira (30), um museu holandês anunciou que uma pintura de Vincent van Gogh tinha desaparecido depois que ladrões invadiram o prédio em um ataque pela manhã. Lentetuin, também conhecido como Jardim da Primavera, pintada por van Gogh na primavera de 1884, estava emprestado ao museu Singer Laren, que fechou suas portas no início deste mês devido aos riscos do COVID-19.

“Estou chocado e incrivelmente chateado”, disse o diretor do museu, Jan Rudolph de Lorm, em um comunicado transmitido ao vivo. “Essa pintura bonita e comovente de um dos nossos maiores pintores [foi] roubada, tirada da comunidade.”

O site holandês Het Laatste Nieuws relata que os ladrões entraram no museu à força, através de uma porta de vidro. Isso disparou um alarme, enviando a polícia para o local. Os policiais, no entanto, não conseguiram encontrar os autores. Fotos da imprensa local mostram uma porta temporária substituindo uma das duas portas de vidro do museu.

Lentetuin, de pastorietuin the Nuenen in the voorjaar (“Jardim de primavera, jardim do presbitério de Nuenen na primavera”, em tradução livre) por Vincent van Gogh. Foto: Wikimedia

Lentetuin foi pintado por van Gogh na cidade holandesa de Nuenen, onde ele morou com seus pais de 1883 a 1885. A obra de arte mostra o jardim no presbitério onde o pai de van Gogh residia como pastor. Segundo a Associated Press, a pintura não teve seu valor avaliado.

Criminosos mesquinhos e sofisticados vêm tentando se aproveitar a pandemia de coronavírus e os transtornos que ela tem causado em todo o mundo. Na semana passada, a Europol alertou que vigaristas estavam usando a crise para vender remédios falsos contra o COVID-19 e invadir casas sob o pretexto de fazer exames. Nos Estados Unidos, os visitantes de parques nacionais começaram a roubar desinfetante para as mãos e papel higiênico das instalações.

Não é a primeira vez que o museu Singer Laren é alvo de ladrões. Em 2007, sete estátuas foram roubadas do jardim de esculturas do museu, incluindo um exemplar de O Pensador, de Auguste Rodin. Essa estátua foi recuperada logo depois, mas foi encontrada sem uma perna. Em 2011, após uma extensa restauração, ela foi colocada em exibição novamente.