São tempos difíceis para os fãs do Windows Phone. A Microsoft divulgou o resultado financeiro do último trimestre de 2015, e as vendas de smartphones Lumia despencaram como nunca antes.

Os Lumias tiveram uma queda íngreme de 57% – a maior de sua história – se comparados ao ano anterior. Foram apenas 4,5 milhões de unidades no trimestre; as vendas não chegavam a esse patamar desde o final de 2012.

O que aconteceu? Bem, a situação não está fácil para as fabricantes de smartphones. A Samsung teve crescimento de 14% entre outubro e dezembro, se comparado ao mesmo período do ano anterior, mas diz que a situação vai piorar este ano. Enquanto isso, a Apple teve um aumento pífio de 0,4% na venda de iPhones.

Isso está acontecendo devido a uma desaceleração global na economia, especialmente na China. E lá, a concorrência é feroz: Huawei, Lenovo, Xiaomi e outras tantas fabricantes dominam o mercado.

Mas uma queda tão acentuada nos Lumias tem motivos mais particulares. A Microsoft reduziu o ritmo de lançamentos, contando basicamente com o Lumia 950 e 950 XL – que desapontaram nos reviews.

Um dos principais defeitos está no próprio Windows 10 Mobile, que ainda não está pronto: ele veio acompanhado por diversos bugs, apps que demoram a abrir, travamentos, entre outros. E ainda há uma lacuna entre os apps do Windows 10 Mobile e de plataformas como iOS e Android: se não é em quantidade, é em qualidade.

A Microsoft aposta em apps universais – que funcionam no PC e no smartphone – para oxigenar a loja de apps, mas será cada vez mais difícil convencer desenvolvedores a assumir o trabalho extra de usar APIs específicas para smartphone.

É que, segundo a IDC, foram vendidos 400 milhões de smartphones no último trimestre: ou seja, só 1,1% deles eram Lumias – que correspondem a quase todas as vendas de Windows Phones.

A esperança é o possível Surface Phone, feito pela mesma equipe dos tablets Surface, mas isso vai demorar: rumores dizem que ele será lançado no segundo semestre, próximo a outubro. Desse jeito, o Windows Phone/Mobile ainda tem chance?

A Microsoft teve receita de US$ 25,7 bilhões e lucro líquido de US$ 6,3 bilhões no trimestre. Entre os destaques, temos um aumento de 22% nas vendas do Surface, graças ao lançamento do Surface Pro 4 e Surface Book; e uma queda de 5% nas vendas do Windows para fabricantes, devido à queda no mercado de PCs.

[Microsoft e The Verge]