Em abril, a Microsoft anunciou uma iniciativa para melhorar o ecossistema de smartphones com Windows 10: eles poderiam rodar apps portados do iOS e Android. Na verdade, nós vimos diversos apps para Android rodando em Windows Phones graças a uma ferramenta vazada.

Mas, segundo o Windows Central, parece que a Microsoft voltou atrás nesses planos. O Project Astoria, que levaria apps do Android para o Windows 10, “está suspenso por tempo indeterminado, e talvez até mesmo esteja engavetado por completo”.



A ideia era que desenvolvedores pudessem reutilizar quase todo o código Java e C++ de um aplicativo para Android ao criar um app para Windows 10 Mobile. Seria possível trocar serviços do Google pelos da Microsoft – mapas, por exemplo – e até mesmo incluir recursos como blocos dinâmicos:

No entanto, esse app não seria totalmente nativo: o sistema da Microsoft tinha um subsistema do Android. Essa não era uma solução ideal, e segundo o Windows Central, ela tinha várias desvantagens.

O subsistema do Android aparentemente deixava o Windows 10 Mobile mais lento com o passar do tempo. Desenvolvedores não gostavam porque ele facilitava a pirataria, permitindo rodar arquivos .apk sem muito esforço. Além disso, parece que o projeto consumia muitos recursos da Microsoft – havia 60 a 80 pessoas trabalhando nele.

Há alguns sinais de que o Astoria acabou mesmo. Em setembro, a Microsoft deixou de responder a perguntas no fórum dedicado ao projeto; e versões mais recentes do Windows 10 Mobile não têm um subsistema do Android. A empresa não confirma isso oficialmente, dizendo apenas que “o bridge Astoria não está pronto ainda”.

E agora? Bem, a Microsoft ainda tem o Project Islandwood, permitindo portar apps do iOS que rodam tanto no Windows 8.1 como no Windows 10. Aparentemente, este projeto tem apenas cinco funcionários, mas já vem mostrando resultados.

A ferramenta WinObjC está disponível desde agosto e tem código aberto; o programador brasileiro Rafael Saccomani demonstra neste vídeo como ela funciona.

O Project Islandwood ajudou trazer o jogo Candy Crush Saga às plataformas da Microsoft, e parece que foi usado pelo Facebook para criar seu novo app oficial, ainda em beta.

No entanto, a Microsoft conquistou a King, criadora do Candy Crush, porque instalou o jogo automaticamente “para consumidores que atualizarem ou baixarem o Windows 10”. E a empresa detém participação minoritária no Facebook, o que talvez ajude a trazer apps da rede social. Resta ver se o Islandwood será o bastante para convencer outros desenvolvedores a portarem seus apps.

[Windows Central]

Imagem por Microsoft