A Microsoft anunciou o lançamento da primeira amostra da emulação x64 para computadores que rodam a versão ARM64 do Windows 10. O recurso será disponibilizado para usuários inscritos no Programa Windows Insider. A novidade é parte do Build 21277 (RS_PRERELEASE).

De acordo com o anúncio, quem participa do programa Windows Insider pode instalar qualquer aplicativo x64 da Microsoft Store ou de qualquer outro local, sejam aplicativos de streaming, jogos ou programas de trabalho. Os usuários podem até mesmo rodar versões 64 bits de navegadores como o Google Chrome, que costuma consumir mais memória. Ao ser emulado como uma versão de 64 bits e não de 32, o browser poderá acessar um pouco mais de memória do computador, o que deve ajudar na performance.

Os Insiders precisarão instalar um preview do driver do Qualcomm Adreno para o Samsung Galaxy Book S, o Lenovo Flex 5G e o Surface Pro X para que o emulador de 64 bits funcione em seu dispositivo. Além disso, os usuários precisarão instalar um preview do ARM64 C++. A Microsoft diz que os usuários só precisarão fazer isso uma vez, já que essas duas etapas não serão necessárias para compilações futuras do Windows Insider.

“Quando lançamos o Windows 10 para ARM no final de 2017, a maior parte dos aplicativos necessários para nossos clientes era x86, apenas de 32 bits”, disse Hari Pulapaka, gerente de programa do grupo de parceiros do Windows. “Com o tempo, o ecossistema mudou para mais aplicativos x64, apenas de 64 bits. É por isso que estamos trabalhando para expandir a capacidade de nossa emulação para incluir aplicativos x64 e compartilhar esta primeira visualização para coletar comentários.”

O Windows no ARM só conseguia emular aplicativos de 32 bits programados para processadores x86 (Intel ou AMD), o que é um pouco problemático porque muitos desenvolvedores de software pararam de oferecer suporte a versões de 32 bits de seus aplicativos nos últimos anos. Até o Windows 10 parou de oferecer suporte a programas de 32 bits na versão 2004.

A diferença está em quanta DRAM os apps de 32 e 64 bits usam. Enquanto os programas de 32 bits só podem acessar até 4 GB de DRAM, os programas de 64 bits podem acessar muito, mais do que isso — até 128 GB para a edição doméstica do Windows 10 e até 2 TB nas edições Pro, Enterprise e de educação.

Praticamente todos os PCs vêm com um mínimo de 8 GB de memória atualmente — qualquer outra coisa é um pecado — então não há muito motivo para continuar fazendo versões de 32 bits dos aplicativos. Ainda existem aparelhos mais baratos, como o Surface Laptop Go, que vêm com apenas 4 GB de memória, mas mesmo neles é melhor usar apps de 64 bits por eles oferecerem suporte a uma quantidade maior de DRAM. Não faz sentido ter dois padrões quando apenas um é necessário.

Pode demorar um pouco até que a emulação x64 para ARM64 seja implementada para todos os usuários do Windows 10, mas este é finalmente um passo na direção certa. Melhorar o desempenho e a compatibilidade pode atrair mais gente para os notebooks Windows Arm — especialmente agora que a Apple lançou seu novo processador M1. Poucos aplicativos x86 nativos foram portados para o Arm, então os usuários vão precisar de pelo menos um emulador para usar os apps que precisam. A Apple já tem o Rosetta 2, que teremos a chance de testar aqui em breve. A Microsoft precisa empatar esse jogo.