Você já viu aquele vídeo viral de pessoas peidando em público, capturado pelas câmeras de imagem térmica da China que estão em busca do coronavírus? É totalmente falso.

O veículo de mídia estatal da China,  Global Times, tuitou o vídeo, sugerindo que ele mostrava pessoas em estações de trem e aeroportos na China, onde as autoridades de saúde estão monitorando as pessoas em busca do coronavírus, que matou 427 pessoas e adoeceu mais de 20.000. Mas o vídeo é, na verdade, de 2016 e os gases foram adicionados digitalmente.

“Não consegue segurar os gases? Bem, é melhor se esforçar mais, porque sensores infravermelhos de temperatura instalados recentemente em aeroportos e estações de trem para monitorar a temperatura dos passageiros em meio ao surto de #Coronavírus podem mostrar todos eles”, tuitou o Global Times na segunda-feira.

O vídeo foi criado originalmente em 2016 por um grupo online chamado Banana Factory antes de ser compartilhado em outros lugares por sites como LadBible e Reddit. O Global Times, que é controlado pelo Partido Comunista Chinês, parece ter pegado o vídeo de um upload recente no TikTok.

O usuário do TikTok pegou o vídeo original criado pelo Banana Factory, tirou a marca d’água do grupo e adicionou o vídeo de câmeras de imagem térmica baseadas na China no final.

Abaixo, vemos o vídeo falso original, antes da marca do Banana Factory ser removida.


Gif: YouTube

Até os criadores originais do vídeo, Banana Factory, eventualmente admitiram que o vídeo era falso em 2016, depois de acumular mais de 9 milhões de visualizações.

“Este vídeo foi gravado na câmera térmica FLIR. Toda a filmagem térmica é autêntica, apenas os peidos foram editados digitalmente”, disse o Banana Factory em seu vídeo no YouTube.

Mas se isso não é evidência suficiente para você, podemos recorrer aos Mythbusters, que falaram sobre este vídeo viral durante um episódio de fevereiro de 2016. Você pode assistir à experiência deles no YouTube (em inglês), provando que não é possível ver peidos em captações de câmeras térmicas.

A mídia chinesa não é muito confiável em geral, mas agências estatais como a CGTN parecem estar levando a sério a ameaça do novo coronavírus nas últimas semanas. Este vídeo do Global Times, no entanto, pode prejudicar a confiança nas informações que ouvimos da China, um lugar onde o governo autoritário já mentiu sobre uma série de questões relevantes para a saúde pública durante o período dos primeiros dias da crise do coronavírus.

A situação na China continua a piorar. Mais casos do novo coronavírus, oficialmente conhecido como 2019-nCoV, estão surgindo todos os dias e a Comissão Nacional de Saúde da China relata que o vírus tem uma taxa de mortalidade de aproximadamente 2,1%, embora na província de Hubei, onde fica Wuhan, a taxa seja mais perto de 3% .

A Comissão de Saúde da China também relata que cerca de 80% das mortes causadas pelo vírus ocorrem em pessoas com mais de 60 anos. E 75% das pessoas que morreram de coronavírus tinham algum tipo de condição subjacente que piorava sua situação de saúde, de acordo com o Guardian.

As companhias aéreas dos EUA cancelaram voos de e para a China nos próximos meses e todos parecem estar se preparando para uma longa luta contra o vírus. Se há algo de que podemos ter certeza, é que mais fotos e vídeos virais falsos aparecerão nas próximas semanas. Mas espero que os meios de comunicação estatais da China não sejam os responsáveis por divulgá-los.

As pessoas precisam confiar na mídia agora se quisermos enfrentar um surto grave. Mesmo se o assunto for apenas peidos.