Os drones estão com tudo e, muitas vezes, são usados para fazer besteiras. No Reino Unido, um maluco violou restrições do espaço aéreo por ignorância, imprudência ou malícia ao pilotar dois drones perto das pistas do segundo aeroporto mais movimentado do país.

De acordo com a reportagem da Reuters, o caso impediu a decolagem e aterrissagem de todos os voos a partir do final da noite de quarta-feira (19):



Os voos no aeroporto de Gatwick, em Londres, continuaram suspensos no início da quinta-feira (20). O segundo aeroporto mais movimentado do Reino Unido já estava parado há cinco horas para investigar relatos de dois drones que sobrevoavam o seu aeródromo, incomodando os passageiros dias antes do feriado de Natal.

Os aviões não puderam decolar, enquanto uma série de voos programados para aterrissar foram desviados para outros aeroportos, conforme o comunicado do aeroporto de Gatwick.

Segundo a AP:

Os passageiros reclamaram no Twitter que os seus voos tinham aterrissado no aeroporto de Heathrow, em Londres, ou em aeroportos em Manchester, Birmingham e outras cidades. Outros voos foram enviados para França e para a Holanda.

De acordo com o Guardian, os voos foram retomados por volta das 3h da manhã, horário local, na quinta-feira, mas o aeroporto escreveu em sua conta oficial do Twitter, quase duas horas depois, que foram localizados outros drones e, por isso, precisaram fechar a pista novamente.

“Vamos atualizar a todos quando tivermos a garantia de que será apropriado reabrir a pista”, escreveu a conta oficial do aeroporto de Gatwick. “… Pedimos desculpas a todos os passageiros afetados por esse inconveniente, mas a segurança dos nossos passageiros e de todo o pessoal é a nossa principal prioridade.”


Ficamos presos na pista por mais de uma hora após a aterrissagem em Luton, em vez de termos ido para o @Gatwick_Airport – a tripulação disse que todos os aeroportos do Sul estão cheios. Não tenho ideia de como vamos chegar em casa – não há nenhuma informação sobre a continuação da viagem!


Com certeza tem algum idiota no Twitter vendo as reclamações sobre #Gatwick, enquanto voa com seu drone sobre o aeroporto.

A Eurocontrol, uma organização internacional que coordena o tráfego aéreo em toda a Europa, postou uma atualização, dizendo que as aterrisagens em Gatwick deveriam voltar ao normal às 9h da manhã, horário local.

De acordo com a Reuters, o Conselho de Airprox do Reino Unido registrou o triplo de ocorrências de quase acidentes entre jatos comerciais e veículos aéreos não tripulados (drones) entre 2015 a 2017; só em 2017, 92 incidentes desse tipo foram registrados.

Os drones são capazes de causar danos muito mais graves às aeronaves em voo do que os pássaros, que já causaram inúmeros desastres aéreos ao longo dos anos. A Administração Federal de Aviação dos EUA diz em seu site que “houve cerca de 194 mil colisões de animais selvagens com aeronaves civis nos EUA entre 1990 e 2017”, resultando em centenas de mortes e fatalidades.

No início deste ano, um acidente com um helicóptero em Charleston, na Carolina do Sul, foi atribuído a um drone. Em 2017, uma colisão entre um helicóptero do Exército dos EUA e um drone DJI, em Nova York, aconteceu porque o piloto do drone o perdeu de vista.

Não se sabe se as autoridades do Reino Unido têm alguma pista sobre quem é o responsável pelos drones que estão voando perto do aeroporto de Gatwick ou por que estão fazendo isso.

De acordo com a Trusted Reviews, mudanças recentes nas leis de drones do Reino Unido estipulam que qualquer pessoa considerada culpada por pilotar um drone acima de 400 pés ou dentro do raio de um quilômetro de um aeroporto pode ser acusada de “agir de forma imprudente ou negligente de forma a colocar em perigo uma aeronave ou qualquer pessoa em uma aeronave”, o que pode resultar em uma multa de cerca de £ 2.500 (R$ 12.150, na cotação atual) ou até cinco anos de prisão.

[Reuters]