Já faz seis semanas que as fissuras de lava começaram a irromper no Havaí, e aparentemente não há previsão de término para o fenômeno. Novos vídeos capturados pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos revelam a extensão da reformulação da paisagem e de como a lava tem transformado as praias em uma pilha de lixo vulcânico.

• É impressionante ver o encontro da lava do vulcão Kilauea, no Havaí, com o mar
• As imagens da erupção do Monte Sinabung na Indonésia são assustadoras

Este vídeo, capturado durante um sobrevoo de um helicóptero na manhã de 14 de junho, mostra a lava sendo expelida e alimentando um fluxo que vai para o oceano.

A devastação parece não ter fim, mas o trecho afetado tem cerca de um quilômetro de extensão. E a coisa é bem feia: pequenas explosões costeiras quando a lava atinge o oceano podem ser vistas.

Mapa térmico do sistema de fissura e fluxos de lava. Imagem: USGS

Um segundo vídeo liberado pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos mostra o que está rolando na cratera Halemaumau, que faz parte do Parque Nacional de Vulcões do Havaí. As imagens foram capturadas por drones no dia 13 de junho e oferecem uma vista única do vulcão, que começou a entrar em erupção no meio de maio.

A parte mais profunda da cratera está a cerca de 300 metros abaixo da borda. A parte plana no fundo da cratera é a antiga superfície interior de Halemaumau, que afundou pelo menos 100 metros nas últimas semanas.

Rachaduras no solo perto da borda da cratera podem ser vistas cortando a região em que funcionava um estacionamento (que foi fechado em 2008).

As cenas parecem horríveis, mas a boa notícia é que essa região acabará se recuperando assim que o Kilauea se estabilizar. As belas ilhas do Havaí não existiriam se não fossem esses processos vulcânicos.

[USGS]

Imagem do topo: USGS