A Warner Bros. anunciou nesta quinta-feira (3) um movimento esperado, mas que não deixa de mostrar como a pandemia de COVID-19 está moldando o futuro de vários negócios. Todos os filmes do estúdio planejados para 2021 serão lançados simultaneamente no HBO Max, plataforma de streaming da companhia.

A decisão acontece cerca de um mês após a Warner confirmar que Mulher-Maravilha 1984 chegará tanto às salas de cinema quanto ao HBO Max no dia da estreia, 25 de dezembro, nos Estados Unidos — no Brasil, o filme estreia uma semana antes, no dia 17 do mesmo mês. Originalmente, o longa tinha estreia prevista para maio, mas, devido à disseminação de casos de coronavírus, passou por inúmeros adiamentos, até a Warner optar pelo lançamento simultâneo.

Além disso, a disponibilidade gratuita dos filmes via streaming só será válida para assinantes do HBO Max nos EUA. Lembrando que o serviço ainda não tem previsão para chegar ao Brasil.

A lista de filmes é composta por 17 títulos. Estes são os já confirmados para chegar no streaming e cinemas ao mesmo tempo:

  • Mulher-Maravilha 1984
  • The Little Things
  • Judas and the Black Messiah
  • Tom & Jerry: O Filme
  • Mortal Kombat
  • Those Who Wish Me Dead
  • Invocação do Mal 3
  • Em um Bairro de Nova York
  • Space Jam: Um Novo Legado
  • Reminiscence, Malignant
  • The Many Saints of Newark
  • King Richard
  • Cry Macho

Duna, Matrix 4, Godzilla vs Kong e Esquadrão Suicida também foram mencionados no anúncio da Warner, mas todos eles estão em fase de produção. Portanto, é muito provável que seus lançamentos, até então programados para o ano que vem, sejam adiados para 2022.

No HBO Max, os filmes poderão ser assistidos em resolução 4K e com suporte a HDR. E um detalhe importante: os lançamentos simultâneos só estarão disponíveis por um mês na plataforma de streaming. Após esse período, eles serão removidos do catálogo e adicionados posteriormente em algum momento.

A princípio, esse será o plano da companhia por pelo menos um ano. Ann Sarnoff, presidente e CEO da WarnerMedia Studios, reconhece que a maioria das salas de cinema nos EUA voltarão a funcionar ao longo de 2021, mas com capacidade reduzida. Por esse motivo, a companhia está adotando novas estratégias de lançamento.

“Vivemos tempos sem precedentes que exigem soluções criativas, incluindo uma nova iniciativa para o Grupo Warner Bros. Pictures. Com esse plano exclusivo de um ano, podemos apoiar nossos parceiros na exibição com um fluxo constante de filmes a nível mundial, ao mesmo tempo que dá aos espectadores que podem não ter acesso ou que não estão prontos para voltar aos cinemas a chance de ver nossos filmes em 2021”, disse.

Jason Kilar, CEO da WarnerMedia, declarou que a companhia precisou mudar seus planos em resposta à pandemia de coronavírus, que afetou duramente a distribuição de filmes nos cinemas. O executivo afirmou que, “após considerar todas as opções disponíveis e a volta dos cinemas ao longo de 2021, chegamos à conclusão de que esta era a melhor maneira para o setor cinematográfico da WarnerMedia continuar nos próximos 12 meses”.

Mesmo após a pandemia, esse movimento promete ser cada vez mais comum e não é algo inédito. Em março, quando os casos começaram a explodir mundo afora, a Universal liberou seus filmes simultaneamente nos cinemas e também no streaming. A Disney também já vem dando indícios que fará o mesmo com suas futuras produções, igual ao que aconteceu com o live-action de Mulan, que estreou direto no Disney+.

[Variety, The Wrap]