Não faltam alternativas para streaming de música no mercado, e entre Spotify, Apple Music e outros, existe o Xbox Music. Ou, na verdade, o Groove: a Microsoft resolveu trocar o nome.

O Xbox Music foi lançado em 2012 para substituir a marca Zune. Ele começou bastante restrito ao ecossistema da Microsoft, mas pouco a pouco se expandiu para o iOS, Android e web.



Agora como Groove, quais são as novidades? A Microsoft diz que elas virão primeiro para PCs com Windows 10: isso inclui uma nova interface com tema claro/escuro e uma cor de destaque.

Welcome-Screen-for-Groove

Em março, o Xbox Music ganhou um recurso bacana: você pode enviar até 50.000 músicas para o OneDrive e acessá-las via streaming através de dispositivos com Windows, Windows Phone, no Xbox e na web. A Microsoft diz que, no Groove, isso será expandido para Android e iOS.

A empresa também afirma que o Groove tem um dos maiores catálogos do mundo, com mais de 40 milhões de músicas – Spotify e Apple Music dizem ter mais de 30 milhões cada.

Não há plano gratuito de streaming: a assinatura custa R$ 14,90 por mês ou R$ 149 por ano, com um mês gratuito. (O valor é convertido em dólares e cobrado no exterior, com incidência de IOF.) Assim como na concorrência, você pode criar estações de rádio personalizadas com base em artistas, ouvir playlists prontas e salvar músicas para escutar offline.

Enquanto isso, o serviço Xbox Video será renomeado para “Filmes e Programas de TV”. Ele permite adquirir episódios e temporadas de séries no Brasil, e oferece vídeos para compra e aluguel.

Movies

Por que Groove?

A explicação oficial para o nome Groove – que significa ritmo – é que ele “descreve o que as pessoas sentem e fazem com a música, e é mais intuitivo para os nossos clientes do Windows 10 em relação ao que eles vão encontrar com o aplicativo”.

Mas Joe Belfiore, que comanda a divisão de sistemas operacionais da Microsoft, diz no Twitter:

Nós não abandonamos os apps [do Xbox Music/Video], apenas mudamos o nome. Muitas pessoas diziam “Eu não tenho um Xbox, por que eu iria usar o Xbox Music?”

Tom Warren, do The Verge, especula sobre a mudança do nome, mencionando que a empresa poderia estar se preparando para vender o serviço de streaming, caso ele não dê certo. “Um nome como Microsoft Music tornaria essa possibilidade mais difícil”, diz Warren.

Vale lembrar que a Microsoft já se desfez de um serviço de música: o MixRadio, adquirido com a Nokia, passou em dezembro para as mãos da Line, empresa japonesa de mensagens instantâneas. [Microsoft via The Verge]

Foto por popculturegeek/Flickr