Fãs de celebridades do YouTube poderão em breve ter uma nova forma de mostrar apoio a eles. O YouTube anunciou nesta quinta-feira (21) novas ferramentas para youtubers gerarem receita, incluindo uma espécie de associação a canais que permitirá que a audiência pague uma quantia mensal.

Instagram quer usar vídeos verticais para atacar hegemonia do YouTube
Você pagaria uma grana para estar em um grupo do Facebook? A rede está testando isso

Apresentada durante a conferência Vidcon, realizada em Anahein, na Califórnia, a nova ferramenta de assinatura dará aos fãs a oportunidade de dar dinheiro diretamente para os criadores de conteúdo. A associação custará US$ 4,99/mês e quem pagar terá algumas vantagens.

Inspirado no modelo popularizado pela plataforma de streaming de game Twitch, o Channel Membership do YouTube é uma espécie de modelo premium de assinatura. Em vez de assinar um canal e só receber os vídeos do youtuber, quem paga terá acesso a conteúdos extras. Isso inclui acesso a vídeos apenas para membros na aba comunidade do YouTube, badges para os perfis, emojis e mais.

Neal Mohan, chefe de produto do YouTube, sugeriu em um blog post que os criadores podem fornecer vídeos ao vivo exclusivos, vídeos extra para esses membros pagantes e até um “salve” em vídeos como potenciais benefícios do pagamento mensal.

Essa não é a primeira incursão do YouTube nesse modelo de assinatura. Como nota o TechCrunch, a plataforma já usou o recurso de “patrocínio” (sponsorship) para seu serviço de streaming de game, o YouTube Gaming. A plataforma também testou esse recurso de associação com alguns criadores no YouTube. Mohan detalhou alguns dos primeiros experimentos prévios que fizeram com o Channel Membership:

Criadores que testaram esse recurso no YouTube tiveram resultados encorajadores. Desde o lançamento em janeiro, o comediante Mike Falzone mais que triplicou sua receita do YouTube. A dupla Simon e Martina criou uma comunidade tão próxima que eles fizeram uma mini-série exclusiva só para membros, que contém pessoas de país de 30 países, da Finlândia até Filipinas.

Não são todos os YouTubers que serão elegíveis ao Channel Memberships e ao sistema de assinatura mensal. Segundo o YouTube, apenas canais com mais de 100 mil inscritos poderão usar a nova ferramenta de geração de receita. O YouTube também está lançando um novo recurso para a venda de mercadorias para criadores com mais de 10 mil inscritos.

Essas novas ferramentas não ajudam os pequenos criadores do YouTube, que já se deram mal com o fato de a plataforma tirar a habilidade deles gerarem alguma renda com propaganda — aqui estamos nos referindo a canais com menos de 1.000 inscritos e com até 4.000 horas vistas de vídeo durante o último ano. Esses criadores menos ativos, que também podem criar comunidades segmentadas pequenas, ainda não têm uma série de opções para poder gerar receita.

[TechCrunch e YouTube]

Imagem do topo: Getty