O app YouTube Kids nunca pareceu corresponder às expectativas de seu conteúdo infantil. Desde que foi lançado em 2015 com o objetivo de tornar a navegação entre vídeos online “mais segura e mais simples para as crianças”, o serviço recebeu duras críticas tanto por seus anúncios quanto pelas coisas estranhas que seus algoritmos deixavam passar — como aquele vídeo de um desenho de um porco bebendo alvejante.

• Agora dá para deixar o YouTube no modo escuro no Android

Isso levou à muita controvérsia para o Google, dono do YouTube. Portanto, a companhia prometeu resolver isso em algum momento deste ano, com mais opções para os pais que talvez não queiram que suas crianças assistam a, digamos, o Homem-Aranha beijar a Elsa, de Frozen (sim, bizarro). Desde a semana passada, o YouTube Kids expandiu seu controle dos pais para usuários de Android, e as novas configurações estão “chegando em breve” para iPads e iPhones.

Agora, os pais e responsáveis podem escolher os vídeos, canais o grupos de canais específicos que eles querem que seus filhos possam acessar. O recurso de “conteúdo aprovado pelos pais” pode ser ligado nas configurações do app, na seção “Meus filhos”. Isso, no entanto, é opcional, caso você esteja contente com os próprios filtros do YouTube ou caso você queira ajustá-los de forma que eles sejam um pouco menos restritivos, à medida que seus filhos fiquem mais velhos.

O YouTube nunca garantiu filtros à prova de falha — a empresa admitiu isso até em seu post de blog de divulgação (em inglês) do novo recurso, dizendo: “Trabalhamos duro para tornar o aplicativo bons para a família, mas nenhum sistema é perfeito”. O YouTube Kids, de fato, não é perfeito, mas o serviço tem uma melhor chance de corresponder às expectativas com um recurso simples e claro como uma lista de aprovação. Pelo menos o YouTube não prometeu continuar mexendo com seus filtros algorítmicos obscuros.

Imagem do topo: Google