1º caso na história: hackers assumem controle de satélite da ESA

Durante testes, hackers conseguiram modificar imagens e adicionar códigos maliciosos ao sistema do satélite
1º caso na história: hackers assumem controle de satélite da ESA
Imagem: ESA/Divulgação

Uma equipe formada por hackers éticos conseguiu invadir e assumir o controle de um satélite da ESA (Agência Espacial Europeia). Os pesquisadores acessaram os sistemas de comunicação, captação de imagens e, até mesmo, a manobrabilidade — ou seja, o controle do satélite.

A invasão fazia parte de um desafio lançado pela própria agência espacial, durante a 3ª edição do CYSAT, uma conferência europeia voltada para debater a cibersegurança na indústria espacial. O objetivo foi identificar vulnerabilidades em satélites e demonstrar que elas poderiam ser aproveitadas por hackers mal-intencionados.

O alvo foi o pequeno satélite OPS-SAT, lançado em órbita da Terra, em 2019. O hackeamento envolveu uma equipe de segurança cibernética da empresa multinacional de tecnologia Thales.

A ESA explica que manteve controle sobre o satélite durante o teste. Porém, os pesquisadores da Thales contornaram as credenciais de acesso dos sistemas de posicionamento global do satélite, de controle de atitude e sua câmera a bordo.

Eles também demonstraram ser possível introduzir novos códigos maliciosos no sistema. Os hackers conseguiram comprometer os dados enviados à Terra, modificando imagens, alterando áreas geográficas fotografadas e ocultando a detecção dessa invasão.

A demonstração foi descrita como o primeiro exercício ético de hacking de um satélite da história.

“Com o crescente número de aplicações militares e civis que dependem de sistemas de satélite hoje, a indústria espacial precisa levar em consideração a segurança cibernética em todas as fases do ciclo de vida do satélite, desde o projeto inicial até o desenvolvimento e manutenção dos sistemas”, disse Pierre-Yves Jolivet, vice-presidente de soluções cibernéticas da Thales, em comunicado.

Os riscos de um satélite hackeado

O controle de satélites por hackers tem se tornado uma preocupação crescente entre governos e empresas espaciais.

O acesso não autorizado pode causar sérios danos ao satélite ou levar à perda de controle sobre ele. Agentes poderiam adulterar imagens captadas, acessar dados confidenciais ou mesmo derrubar um satélite.

Segundo um relatório vazado pelo Financial Times, a CIA (Agência de Inteligência dos EUA) acredita que a China está desenvolvendo maneiras de assumir o controle de satélites estrangeiros. O documento aponta que os chineses poderiam imitar sinais enviados do solo para o satélite em órbita, permitindo assumir o controle dos seus sistemas.

No mês passado, a Bloomberg revelou que a Rússia teria conseguido hackear sistemas de internet via satélite da empresa Viasat. Inclusive, durante a Guerra na Ucrânia, internautas têm descrito grandes interrupções nesses tipos de serviço, o que acende o alerta sobre as possíveis vulnerabilidades em satélites comerciais e governamentais.

Hemerson Brandão

Hemerson Brandão

Hemerson é jornalista, escreve sobre espaço, tecnologia e, às vezes, sobre outros temas da cultura nerd. Ele também é grande entusiasta de astronomia, interessado em exploração espacial e fã de Star Trek.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas