Recentemente, o WhatsApp traiu seu longo compromisso com a privacidade quando anunciou que iria compartilhar dados de usuário com o Facebook com o propósito de vender propaganda. Nesta terça-feira (27), uma autoridade reguladora alemã anunciou que vai colocar freios nos planos do Facebook.

Quais dados o WhatsApp poderá compartilhar com o Facebook daqui para a frente?
Agora o WhatsApp permite que você faça menções a contatos dentro de um grupo

Do The New York Times:

O comissário de proteção de dados da cidade de Hamburgo ordenou que o Facebook pare nesta terça-feira (27) de coletar e armazenar dados de usuários do WhatsApp na Alemanha. É a primeira vez que um fiscalizador de privacidade se posiciona sobre este debate. O regulador, que tem autoridade sobre as atividades do Facebook na Alemanha, também pediu que a rede social deletasse toda a informação já coletada do WhatsApp de cerca de 35 milhões de usuários alemães.

Devo admitir que tenho um pouco de inveja da Alemanha por esta ação do órgão regulador contra o Facebook. O fato é que ao pegar suas informações para adicionar ao enorme banco de dados do Facebook tem zero benefício para o usuário. Isso só ajuda o Facebook a encher ainda mais os bolsos cheios da rede social, que fatura alta com informações pessoais dos usuários.

A companhia não esclareceu exatamente quais dados exatamente vai coletar, e a possibilidade de eles estarem recolhendo mais dados do que estão dispostos a admitir, me deixa um pouco enojado do ponto de vista de privacidade.

Na antiga política de privacidade do WhatsApp, a companhia deixava claro os dados que não são coletados sobre o usuário. Agora, com as últimas atualizações, a seção sumiu. Portanto, não há mais restrição quanto aos dados que o WhatsApp recolhe de seus contatos.

“Após a aquisição do WhatsApp feita pelo Facebook há dois anos, ambas as partes asseguraram publicamente que os dados não seriam compartilhados entre eles”, disse Johannes Caspar, comissário de proteção de dados e liberdade de informação de Hamburgo, em um comunicado. “O fato de que isso está acontecendo agora não é só uma traição para os usuários e ao público, mas também constitui um infração à lei nacional de proteção de dados.”

É lógico que o Facebook precisa recuperar os US$ 19 bilhões gastos no WhatsApp em 2014. Mas ao usar ainda mais dados de um app que tinha como bandeira a privacidade talvez não seja a melhor forma de lidar com a questão, se o Facebook, de fato, liga para a privacidade de seus usuários, é claro.

“Além disso, há milhões de pessoas cujos detalhes de contato foram enviados ao WhatsApp da lista de contatos do celular do usuário, embora eles não tenham uma conta com o Facebook ou WhatsApp”, disse Caspar. “Segundo o Facebook, esta quantidade imensa de dados ainda não foi coletada. A resposta da rede, que informou que ainda não teve tempo hábil, é causa de preocupação, pois a violação da lei de proteção de dados terá um impacto muito maior.”

Foto do topo por Patrick Sison/AP