Não foi um evento oficial de campanha, mas poderia muito bem ter sido. Quando Donald Trump voou no Air Force One para Austin, Texas, na quarta-feira (20), o presidente visitou a pequena fábrica que está montando os computadores Mac Pro da Apple. É a mesma fábrica que produz modelos Mac Pro mais antigos desde 2013, mas esse fato aparentemente não parecia importar para o presidente. Logo após a visita, Trump assumiu o crédito pela abertura da fábrica e alfinetou os democratas. A Apple não disse uma palavra sobre o caso.

Levar crédito por coisas que ele não fez não é um novo hobby para o presidente. Nem mentir, em geral. Inclusive, havia duas mentiras no tuíte de Trump sobre a fábrica da Apple:

Tradução: Hoje, eu abri uma grande fábrica da Apple no Texas que vai trazer empregos altamente remunerados de volta aos EUA. Hoje, Nancy Pelosi fechou o Congresso porque ela não se importa com os trabalhadores americanos!

Na verdade, Nancy Pelosi não fechou o Congresso na quarta-feira (20), embora Trump talvez estivesse fazendo uma referência ao inquérito histórico de impeachment que vem atraindo a atenção do mundo e que está acontecendo agora na Câmara. Mas essa fala sobre a fábrica da Apple é claramente falsa. Operada pela Flextronics America – Flex para abreviar – a instalação de Austin foi aberta durante o governo Obama e vem fabricando Mac Pros desde 2013. Enquanto a Flex esperava inicialmente que a fábrica da Apple gerasse 1.700 novos empregos, o New York Times relata que, atualmente, a instalação emprega “cerca de 500 pessoas”. O que há de novo na fábrica é o mais recente Mac Pro, que Trump passou algum tempo observando na quarta-feira.

“Para mim, este é um dia muito especial”, disse o presidente após fazer um tour pelo local. Trump destacou como os produtos fabricados nos EUA não enfrentam tarifas e disse que seu governo “investigaria” a oferta de isenções tarifárias à Apple no futuro. Ele acrescentou: “Tim Cook é alguém que eu respeito muito”.

Tim Cook, CEO da Apple, deveria saber o que estava acontecendo. Embora o executivo da Apple tenha criticado certas políticas de Trump no passado, ele parecia realmente disposto a deixar o presidente usar sua fábrica como uma plataforma para se gabar de sua guerra comercial. Cook até deu a Trump um painel de um Mac Pro em que se lia: “Projetado pela Apple na Califórnia. Fabricado nos EUA”. Acompanhado pelo Secretário do Tesouro Seth Mnuchin e sua filha Ivanka, Trump o segurou como um cinto de campeonato de luta livre e sorriu para fotos.

Trump segurando placa em fábrica da Apple ao lado de Tim Cook, CEO da AppleFoto: Getty

“Sou grato pelo apoio deles em fazer esse dia acontecer e por nos ter levado até aqui”, disse Cook após as declarações de Trump. “Não seria possível sem eles”.

É difícil imaginar como isso é verdade. Novamente, a fábrica do Mac Pro monta Macs desde 2013 e a Apple anunciou há dois meses que a mesma fábrica montaria o novo modelo. Talvez Cook estivesse se referindo a um evento diferente que ocorreu em Austin apenas algumas horas antes da chegada do presidente Trump. Na manhã de quarta-feira, a Apple iniciou a construção de um novo campus de US$ 1 bilhão que foi anunciado há um ano e deve ser inaugurado em 2022. Porém, não será uma instalação de fabricação. O Times relata que ela hospedará “cerca de 5.000 funcionários em áreas como engenharia, vendas, operações e suporte ao cliente”.

Então, por que Trump não visitou o canteiro de obras e segurou uma pá ou algo do tipo? o é disso que ele gosta?

Uma explicação óbvia é que Trump sabe que sua base não quer ouvir falar de cargos administrativos. Trump prometeu a eles que traria empregos operacionais de volta aos Estados Unidos, e isso é ostensivamente uma grande razão pela qual o governo está em guerra com a China por tarifas. A guerra comercial não está indo bem, no entanto, nem o esforço de Trump para abrir mais fábricas domésticas. Dados recentes mostram que a manufatura está agora em declínio nos Estados Unidos e não parece que se recuperará no futuro próximo. Claro, a fábrica da Apple que vem produzindo Mac Pros nos últimos seis anos continuará fabricando os computadores. A Apple, no entanto, não anunciou nenhuma nova fábrica local nesta semana.

A Apple também não comentou as falsas alegações do presidente Trump sobre a fábrica do Texas, e a empresa não respondeu a um pedido de comentário sobre o assunto. Como John Gruber argumenta na Daring Fireball, a empresa não tem motivos para se manifestar, porque o governo Trump está dando a eles um alívio das tarifas muito bem-vindo. Sobre a visita de Trump a Austin, Gruber escreveu:

Não foi uma promoção para o Mac Pro ou sua montadora. Foi uma promoção para Trump. Este vídeo faz parecer que as políticas comerciais de Trump foram boas para a Apple e que Tim Cook apoia Trump. Ambas as ideias são falsas. Até a afirmação previsível de Trump de que esta é uma nova instalação é falsa – a Apple, na época em que houve uma mudança de alto cargo, fabrica Mac Pros nas mesmas instalações desde 2013. A Apple não está trazendo de volta a fabricação do Mac Pro aos EUA por causa das políticas comerciais de Trump; A Apple mantém a produção do Mac Pro aqui apenas porque Trump concedeu à Apple uma isenção de suas tarifas – tarifas que ele próprio claramente não entende.

Mas Cook entrou no jogo sabendo que era assim que Trump jogaria – uma grande pilha de bobagens absurdas por todo o caminho.

Parece que a farsa pode valer a pena para Cook e amigos. Afinal, Trump sugeriu que mais isenções tarifárias poderiam estar a caminho da Apple. A empresa já se beneficiou dos cortes de impostos do governo Trump e o presidente continuou pressionando a Apple a adicionar mais empregos à economia norte-americana. Com base no que está acontecendo no Texas, parece que a Apple adicionará um monte de cargos administrativos, e isso é bom para esses trabalhadores . Trump simplesmente mentirá e os chamará de empregos operacionais.