Embora conheçamos muitos dos novos recursos que chegam ao Apple Watch Series 6 via WatchOS 7, não sabemos muito sobre as possíveis mudanças de hardware do relógio da Apple. No entanto, agora parece que o Series 6 pode ser o primeiro Apple Watch a incluir um sensor para medir o nível de oxigênio do sangue.

A notícia foi publicada pelo Digitimes, que também observou que a Apple fez um acordo com a ASE Technology, um fornecedor de Taiwan, para produzir o Series 6. Isso está alinhado com o que foi reportado pelo site 9to5Mac que descobriu recursos de detecção de oxigênio no sangue em trechos de código do iOS 14 há alguns meses.

Dito isto, a Apple não fez nenhuma menção à funcionalidade durante o lançamento do watchOS 7 na WWDC — embora não fosse uma surpresa se estivesse economizando novidades de hardware para o evento anual de setembro. Afinal, também não falou claramente sobre a tela LTPO (óxido policristalino de baixa temperatura) usada em seu relógio e a tela sempre ligada do Series 5 na WWDC do ano passado.

O monitoramento do oxigênio do sangue, ou oximetria de pulso, é um pouco chavão na atualidade, devido à pandemia global.

Em poucas palavras, uma leitura saudável é geralmente entre 95%-100%, com valor de 90% considerados abaixo do normal.

Níveis baixos podem ser uma indicação de problemas respiratórios ou cardiovasculares — uma das principais razões pelas quais os fabricantes de dispositivos portáteis veem os sensores de SpO2 como uma forma de diagnosticar apneia do sono.

Qualquer função de diagnóstico, no entanto, precisaria de uma autorização da FDA (órgão análogo à Anvisa no Brasil). É também por isso que os oxímetros de pulso logo somem das prateleiras de farmácias e varejistas. , pois as pessoas veem como uma maneira de prever se podem ter COVID-19. Para esclarecer, a Associação Americana do Pulmão não endossa este tipo de comportamento.

Se esse boato for verdadeiro, a grande questão será se o monitoramento de oxigênio no sangue é exclusivo do Series 6 ou não.

Na época em que o primeiro Apple Watch foi lançado, em 2015, as desmontagens revelaram que o monitor de batimentos cardíacos poderia potencialmente funcionar como um oxímetro de pulso — embora a Apple nunca tenha confirmado. No entanto, a maioria dos outros equipamentos optam por usar sensores de SpO2 para monitoramento de oxigênio no sangue, não os sensores PPG de luz verde. Isso, além do relato do Digitimes, indica que um sensor específico de oxigênio no sangue pode ser adicionado ao Series 6, sugerindo que vai ser exclusivo do novo modelo do relógio inteligente.

O monitoramento de oxigênio no sangue não é novidade no ramo de vestíveis. A Fitbit introduziu os sensores de SpO2 pela primeira vez em 2017 no Ionic, embora só neste ano a empresa introduziu sua métrica de Variação Estimada de Oxigênio.

A Garmin também possui sensores de SpO2 em vários dos seus relógios inteligentes há anos, então não é como se a Apple estivesse estreando uma categoria de sensor completamente nova.

Por outro lado, todos os dispositivos vestíveis também tinham sensores PPG quando a Apple apareceu com o Series 4, adicionando a capacidade de ECG liberado pelo FDA. Há uma chance de que a Apple não esteja se recuperando, mas dando um tempo para criar um tipo mais avançado de monitoramento de oxigênio no sangue.

Teremos que esperar até que a Apple faça seu grande anúncio ainda neste outono, durante seu evento em setembro. Enquanto isso, você terá que se contentar com a versão beta pública do watchOS 7 seja lá quando isso for acontecer.