Depois de ser lançado no iOS e no Android na semana passada, o sucessor do Vine, chamado Byte, compartilhou mais algumas informações que o “programa de parceiros” vem promovendo desde o anúncio. Basicamente, é um plano para pagar os usuários. Eu não apostaria muito nisso por enquanto: o aplicativo — uma plataforma de vídeo para clipes de seis segundos em loop — já foi invadido por muitos usuários sedentos por seguidores e dinheiro.

De acordo com um post no blog da empresa, a Byte planeja criar um “pool de parceiros” a cada 120 dias, com o pagamento dividido em quatro parcelas de 30 dias com base nas visualizações de cada parceiro durante esse período. Essas estatísticas de visualização determinam sua “divisão de audiência”. Quanto mais um parceiro é popular, mais alta sua divisão e seu pagamento. Para maior transparência (e para mostrar que o Byte não tem seus protegidos), todos de uma mesma divisão receberão o mesmo valor.

“Esperamos que este modelo resolva questões de incentivo e desigualdade que vemos em outros modelos”, diz a Byte em seu post.

Esses pagamentos virão de anúncios — não há surpresa aí –, mas o Byte sublinhou que os usuários não verão propagandas antes dos Bytes ou no meio do feed. Além disso, a empresa diz que os anúncios não serão baseados em redirecionamentos.  Toda a receita de anúncios será destinada exclusivamente aos criadores parceiros durante a fase piloto do Byte, embora isso provavelmente mude para um modelo de pagamento mais sustentável assim que o programa finalmente se tornar público.

Como afirma o post no blog da empresa, eles estão “explorando várias maneiras de ajudar os criadores a serem pagos”, e este programa é apenas a primeira iniciativa.

A Byte planeja iniciar seu primeiro pool de parceiros nos EUA nos próximos 60 a 90 dias, escreveu a empresa. Embora seja apenas para convidados no momento, os criadores também podem enviar seu nome para uma possível consideração. Por enquanto, não há um prazo final: “Manteremos o programa piloto até que estejamos prontos para um lançamento mais amplo, que prevemos que levará algum tempo”, disse a companhia.

Atrair criadores ao prometer toda a receita de anúncios da empresa é uma aposta arriscada, mas pode valer a pena se a promessa de pagamento rápido conseguir atrair os olhos que estão voltados para muitas outras plataformas de vídeos curtos por aí. A Byte parece estar ciente de que, nesses cruciais primeiros meses, eles estão anunciando sua plataforma tanto para influenciadores potencialmente lucrativos quanto para a própria audiência. E ser franco quanto aos valores é certamente uma maneira de chamar a atenção de ambos.