Muitos amantes de carros adoram o barulho dos motores. Com a chegada dos carros elétricos, o ronco foi substituído por um ruído que pode ser quase imperceptível. Há quem goste dessa solução também, mas, como pedestre, eu prefiro ter um som claro para identificar rapidamente se um carro está por perto.

Legisladores da União Europeia também pensam assim e a partir desta semana todos os novos carros elétricos fabricados na região precisarão fazer um barulho de motor tradicional.

As montadoras precisarão instalar Sistemas de Alerta Acústico Veicular (ou AVAS, na sigla em inglês) em carros totalmente elétricos ou híbridos – toda a nova frota precisará estar de acordo com a regra até 2021.

A regra exige que os veículos precisarão fazer sons enquanto estão andando a menos de 20 km/h e ao dar ré.

Não haverá um barulho único e cada montadora poderá criar a sua solução. No entanto, a lei diz que o som precisa ser similar a de um motor de combustão e estar sincronizado à velocidade do veículo.

Algumas empresas já revelaram suas soluções, como a Jaguar:

A ausência de ruído pode representar um risco para pedestres, especialmente pessoas cegas ou com problemas parciais de visão. Conforme lembra a BBC, em novembro de 2017, a organização de caridade britânica Guide Dogs for the Blind Association submeteu ao Parlamento Britânico uma pesquisa que dizia que veículos elétricos e híbridos tinham 40% mais chances de se envolverem em acidentes que causassem ferimentos a um pedestre.

Nos Estados Unidos, a Administração Nacional de Segurança Rodoviária (órgão equivalente ao Contran) irá exigir a adição de um sistema semelhante em 2020.

[BBC]