Prepare-se para manhãs mais difíceis. Um novo relatório do Instituto Climático da Austrália prevê que, até 2050, o aquecimento global irá reduzir fortemente a produção de café. E embora as projeções sejam para daqui a algumas décadas, a escassez de café não está tão distante de nós – na verdade, ela já começou.

Beber café pode reduzir os danos no fígado causados pelo álcool
Você provavelmente está tomando café na hora errada

Segundo o relatório, a mudança climática fará com que pelo menos metade das terras utilizadas nas plantações atuais não consigam mais produzir grãos de qualidade. Além disso, até 2080, as altas temperaturas poderiam extinguir as plantas de café silvestres.

E como dissemos por aqui, uma escassez mundial de café é inevitável. O Brasil – que responde por um terço da safra global – viu a produção cair nos últimos dois anos devido a uma longa estiagem. Até agora, outros produtores conseguiram suprir a demanda, graças a safras mais generosas. Mas não podemos esperar que essas safras continuem tão boas. A tendência é que isso mude, infelizmente.

A baixa produção de café do Brasil foi preenchida por uma colheita recorde de Honduras – mas o país da América Central é um dos afetados pela mudança climática, caso o relatório se confirme.

A mudança na produção brasileira foi relativamente pequena, mas o suficiente para resultar no aumento dos preços e num salto dos grãos de menor qualidade. Se a escassez se espalhar para mais regiões, o cenário só vai piorar.

Foto: Couleur/Pixabay