Arqueólogos ligados ao Ministério da Cultura do Peru encontraram no país uma escultura de madeira com idade estimada entre 850 e 1.470 anos. A peça, achada na cidade pré-hispânica de Chan Chan, remete ao período inicial da cultura chimu. 

O boneco mede 47 centímetros de comprimento por 16 centímetros de largura. Pesquisadores sugerem que a figura representa um carregador – pessoa que levava objetos sagrados no passado. 

No rosto da estatueta, apenas o nariz se destaca. O resto é plano, e pintado de vermelho. Os olhos e orelhas também se diferenciam pela presença de resina preta no interior, que parece ter sido utilizada para fixar placas de madrepérola — produzida por alguns moluscos. 

Torso, braços e mãos do boneco também receberam tinta vermelha, com algumas manchas circulares escuras sendo vistas no peito. Ele tem ainda um tipo de chapéu no formato de trapézio, decorado com sete faixas verticais – design que combina com o que aparece em sua saia. 

Além da figura, os arqueólogos também desenterraram no local sementes de nectandra (planta com propriedades medicinais), algumas com fios dentro, sugerindo que foram utilizadas na composição de um colar. Uma pequena bolsa com fios marrons e brancos também foi recuperada próxima a escultura.

A cidade de Chan Chan é conhecida por ser a maior do mundo construída unicamente com tijolos de barro. Janie Gómez, Vice-Ministra do Patrimônio Cultural e Indústrias Culturais do Peru, disse em comunicado que “o país poderia viver muito bem apenas da valorização dos seus monumentos (arqueológicos). Temos quantidade e variedade de sítios com características excepcionais”.