Na quarta-feira (7), a espaçonave OSIRIS-REx, da Nasa, passou pelo asteroide Bennu pela última vez, encerrando seu relacionamento de dois anos e meio com a rocha espacial. Mas a OSIRIS-REx ainda está vagando nas proximidades do asteroide, como se hesitasse em iniciar seu retorno de aproximadamente 320 milhões de quilômetros à Terra. Essa viagem começará no início de maio. A OSIRIS-REx está carregando amostras preciosas do asteroide e deve chegar à Terra em 24 de setembro de 2023.

“Deixar a região de Bennu em maio nos coloca no “ponto ideal”, quando a manobra de partida consumirá a menor quantidade de combustível a bordo da nave espacial”, disse Michael Moreau, gerente de projeto adjunto da missão OSIRIS-REx no Goddard Space Flight Center, da Nasa, em um comunicado. Moreau acrescentou que essa é a maior manobra propulsiva em que a espaçonave se envolveu desde a primeira vez que se aproximou de Bennu em outubro de 2018.

Asteroide Bennu. Ilustração: NASA/Goddard/University of Arizona

Quando o OSIRIS-REx saiu de sua órbita familiar, ele capturou imagens da superfície do asteroide a cerca de três quilômetros de distância. Os pesquisadores da Nasa esperam que isso mostre como a superfície de Bennu mudou após a coleta de amostras da OSIRIS-REx, que exigiu que a espaçonave explodisse o material da superfície da rocha.

O processo de coleta de amostras “Touch and Go” (TAG) em 20 de outubro de 2020 foi um sucesso, mas a equipe adicionou o sobrevoo à sua programação de partida para ver como eles podem ter alterado a superfície do asteroide. O sobrevoo durou quase seis horas, cobrindo mais do que uma rotação completa do asteroide.

A espaçonave causou uma grande agitação no asteroide quando coletou a amostra. Ilustração: Goddard Space Flight Center da Nasa

“Ao analisar a distribuição do material escavado ao redor do local do TAG, aprenderemos mais sobre a natureza dos materiais da superfície e do subsolo, juntamente com as propriedades mecânicas do asteroide”, disse Dante Lauretta, cientista planetário da Universidade do Arizona e investigador principal da OSIRIS-REx, em um comunicado de imprensa da Nasa.

Assine a newsletter do Gizmodo

Estaremos atentos às últimas imagens, que devem sair em cerca de uma semana. A espaçonave usa as mesmas antenas para os comunicados terrestres que o rover Perseverance, que está ocupado enviando mensagens no momento. Portanto, pode demorar algum tempo.

Falta cerca de um mês para a OSIRIS-REx iniciar sua viagem de volta. Esperamos que essas últimas imagens do asteroide sejam suficientes para nos manter intrigados até setembro de 2023.