Nós já vimos a chegada de celulares flexíveis como o Samsung Galaxy Fold e o Huawei Mate X, e enquanto a empolgação em torno desses dispositivos acabou sendo ofuscada por preocupações em relação à durabilidade, isso não impediu que a Lenovo se aproveitasse dessa onde de telas dobráveis e aplicasse a novidade a algo maior.

E foi assim que surgiu essa coisa, e eu digo “coisa” porque o novo protótipo flexível da Lenovo não é exatamente um laptop em seu sentido tradicional. Na verdade, a Lenovo nem chama o seu protótipo de laptop, e em vez disso utiliza o termo “dobrável” como um tipo de designação genérica. Além disso, a empresa ainda não escolheu um nome oficial para o produto. Como evidenciado pelo logo do ThinkPad no novo aparelho, sabemos que ele será parte da família do ThinkPad X1, mas isso é o máximo que a Lenovo decidiu em relação ao nome do lançamento.

Quando fechado, o protótipo se parece muito com uma mistura entre um notebook tradicional e um 2-em-1 destacável, como o Microsoft Surface. Há uma dobradiça no meio que segura as duas metades juntas, um suporte na parte detrás, e até um pequeno gancho para encaixar a caneta stylus com tecnologia Wacom. Mas quando você abre é um mundo totalmente novo.

Em vez de uma tela na parte de cima e um teclado embaixo, o interior do protótipo ThinkPad tem 13,3 polegadas de tela, com uma resolução de 4:3 2K e tecnologia display OLED. E, ao contrário do Galaxy Fold, o display no novo produto da Lenovo não foi feito pela Samsung ou qualquer fornecedor anônimo que a Huawei utiliza, mas pela LG, que está fazendo sua estreia no jogo de telas dobráveis com o protótipo da Lenovo.

No modo laptop normal, o aparelho possui uma “meia tela” de 9,6 polegadas que permite que você utilize a parte debaixo como um teclado touch-screen, uma tela secundária ou para qualquer outra coisa que você queira. Mas caso você queira maximizar a tela do protótipo, também é possível conectá-lo ao seu teclado Bluetooth para utilizá-lo de uma forma mais tradicional. O protótipo da Lenovo também possui uma câmera IR embutida para ser utilizada com recursos como o reconhecimento facial do Windows Hello, além de duas entradas USB-C para transferência de dados e recarga de baterias, conectar alto-falantes, e o que a Lenovo promete ser uma bateria que dura “um dia inteiro”.

Lenovo ThinkPad dobrável

E é isso o que sabemos até o momento, já que a Lenovo revelou a novidade nesta segunda-feira (13) e não deve disponibilizar o produto até 2020. A empresa ainda não informou sequer qual sistema operacional será rodado, apenas que será algum tipo de dispositivo baseado em Windows. Dito isso, mesmo inacabado, o protótipo do ThinkPad dobrável parece ser fantástico.

Sim, ele é um pouco mais grosso e pesado do que um laptop tradicional, embora parte disso seja provavelmente devido a parte do encobrimento ser utilizado para manter alguns de seus componentes e design ocultos. No entanto, ao contrário do Galaxy Fold, não há vincos, saliências ou ondulações no dispositivo da Lenovo. É apenas uma folha suave de display dobrável e, com isso, as possibilidades são infinitas.

Você poderia utilizá-lo para assistir vídeos ou apresentações enquanto faz anotações ou esboços com a caneta stylus na parte de baixo da tela, jogar um jogo enquanto utiliza o resto da tela para checar suas mensagens, ou criar designs customizados para a parte de baixo da tela como se fosse um Touch Bar da Apple evoluído. Independentemente de como você utilize, o ponto principal é que metade da superfície interior do laptop não é mais dominada por um teclado físico e estático.

Obviamente, o protótipo da Lenovo não será um sistema para todos. A empresa imagina que o produto vai funcionar melhor para executivos dependentes de soluções mobile e, principalmente, entusiastas de tecnologia que podem ser mais tolerantes com a estranheza do produto pioneiro. Embora você possa utilizar o protótipo ThinkPad em seu colo no modo laptop, uma tela de 9,6 polegadas talvez não seja grande o suficiente para você trabalhar, embora ele possa ser do tamanho adequado para as mesas, cada vez menores, dos aviões.

De ângulos mais extremos, é possível notar algumas distorções de cores na parte dobrada da tela, mas isso é muito menos visível quando visto de cima. Crédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Para evitar questionamentos em relação a potenciais fragilidades do produto, a Lenovo afirma que antes que o protótipo chegue ao mercado ele vai passar por testes a nível militar como um laptop ThinkPad padrão, além de ter que sobreviver ao dobro da quantidade de testes de dobramento.

Segundo a Lenovo, o produto já vem sendo desenvolvido há três anos, o que ainda é menos tempo do que os oito anos que a Samsung passou trabalhando no Galaxy Fold. Mas se você pensar nos dispositivos como o Yoga Book e o Yoga Book C930, fica claro que a Lenovo já vem desenvolvendo essa tecnologia há um tempo.

Apesar de o protótipo ainda estar longe de se tornar realidade, ele é muito animador. Após dispositivos dobráveis como o Galaxy Fold romperem com o design tradicional de smartphones, parece que o lançamento da Lenovo pode fazer o mesmo com o mercado de laptops. Há quase três anos, achamos que o Yoga Book seria o “futuro dos laptops” e, com esse protótipo, parece que o futuro ficou muito mais tangível. Agora teremos que esperar até 2020 para ver no que isso vai dar.