A casa de máquinas de bombordo do MPV Everest — um navio de construção polivalente de classe de gelo — pegou fogo durante a tarde de segunda-feira, 5 de abril, de acordo com a Divisão Antártica Australiana. O navio, que deixou suprimentos para um ano em duas estações de pesquisa na Antártica, estava há menos de uma semana em sua jornada para Hobart, Austrália, quando o incidente aconteceu.

Nenhum dos 109 expedicionários e da tripulação a bordo do MPV Everest ficou ferido quando um incêndio começou na casa de máquinas, mas o navio de reabastecimento da Antártica ainda tem 3.200 quilômetros pela frente em sua longa jornada de volta para casa, na Austrália.

A casa de máquinas “foi rapidamente isolada para conter o fogo, antes de ser extinto pelos sistemas de supressão de incêndio”, explicou Charlton Clark, gerente geral de operações e segurança da Divisão Antártica Australiana, em um comunicado. O navio “manteve a capacidade total de potência e atualmente continua seu curso para o norte a 9 nós, usando uma sala de máquinas separada de estibordo”, acrescentou.

MPV Everest ainda nas águas da Antártica. Imagem: Divisão Antártica Australiana

Como aponta a Divisão Antártica Australiana, das 109 pessoas a bordo, 72 estão retornando de suas expedições na Antártica — algumas depois de um ano e meio. O navio está viajando atualmente no Oceano Antártico, a aproximadamente 1.700 milhas náuticas (ou 3.148 quilômetros) de Perth, na Austrália. Nenhum ferido foi relatado, mas o incêndio destruiu duas embarcações a bordo do navio, relata o Guardian.

O navio deveria chegar a um porto em Hobart em meados de abril, mas nenhuma decisão foi tomada se o navio deveria atracar mais cedo em um local alternativo. A Autoridade de Segurança Marítima da Austrália está ciente da situação e pediu a navios localizados nas proximidades para fornecer assistência, se necessário.

Os expedicionários e a tripulação já haviam enfrentado desafios consideráveis, pois o espesso gelo marinho na costa de Mawson impedia que o Everest se aproximasse da costa da Antártica. Os helicópteros, tendo que voar mais de 120 quilômetros em cada sentido, tiveram que fazer várias viagens, nas quais 2.500 quilos de suprimentos eram entregues a cada dia. No total, 3.800 quilos de “carga essencial e prioritária” foram transferidos para as estações de pesquisa Davis e Mawson no leste da Antártica, de acordo com a Divisão Antártica Australiana. A viagem de volta para casa finalmente começou em 1º de abril.

Assine a newsletter do Gizmodo

Maree Riley, psicóloga organizacional da Divisão Antártica Australiana, disse que as famílias dos expedicionários foram informadas do incêndio e que ninguém ficou ferido. Dito isso, Riley disse ao Guardian que “algumas pessoas ficaram abaladas com isso”, e o incidente pode ser traumático para alguns.

Uma vez em casa, a causa do incêndio será investigada pelo proprietário do navio, os Serviços de Construção Marítima, juntamente com as autoridades de transporte e segurança relevantes, se necessário.