Atualizado às 18h58

O Facebook acaba de revelar uma nova cifra assustadora para o número de usuários cujos dados foram inapropriadamente compartilhados pela empresa de consultoria política Cambridge Analytica. Esse número agora é de até 87 milhões. O denunciante Christopher Wylie havia dito anteriormente que mais de 50 milhões de pessoas haviam sido afetadas. Agora, de acordo com o CTO do Facebook, Mike Schroepfer, “até 87 milhões”, em grande parte usuários dos Estados Unidos, foram afetados. E sobrou até para os brasileiros, ainda que em número bem menor.

• Zuckerberg rebate crítica de CEO da Apple: “Existem empresas que trabalham duro para te cobrar mais”
• Facebook desabilita ferramenta que cruzava dados de terceiros para direcionar anúncios

Schroepfer não alardeou exatamente esse novo número de 87 milhões. A cifra estava enterrada no final de um post de blog sem graça sobre como o Facebook planeja restringir o acesso a dados no serviço. A publicação contém outros itens interessantes, como a “depreciação da API do Instagram” (os desenvolvedores logo terão acesso a muito menos dados de usuários do Instagram) e a desativação de um recurso que permite que qualquer pessoa pesquise usuários a partir de um número de telefone ou de um endereço de email (tinha gente abusando disso). Mas esse número de 87 milhões? O Facebook quase o faz parecer uma reflexão tardia.

Como você pode ver no gráfico abaixo, publicado no post de blog, dos 87 milhões de usuários afetados pelo escândalo da Cambridge Analytica, 0,5% (ou pouco mais de 443 mil usuários) foi de brasileiros.

Imagem: Divulgação/Facebook

A notícia não é um choque, por si só. Até pouco tempo atrás, ouvimos muito poucos relatos confirmados sobre o escopo do dano causado. Executivos sêniors, como Mark Zuckerberg e Sheryl Sandberg, também ficaram visivelmente calados durante dias, depois de a notícia ser divulgada pela primeira vez por vários veículos de imprensa há quase três semanas. Ainda não está claro como as organizações podem ter coletado os dados de usuários do Facebook da maneira como a Cambridge Analytica o fez.

De qualquer forma, essa nova informação representa um aumento de 74% no número relatado de usuários afetados pela coleta de dados da Cambridge Analytica, o que é perturbador. Não está claro o que isso significa para esses usuários ou para o Facebook. A rede social está em pleno modo de bagunça agora, tendo acabado de anunciar uma atualização em seus termos de serviço e política de dados nesta quarta-feira (4). Agora, os usuários do Facebook se acomodam e esperam o próximo capítulo quase inevitável dessa história.

Imagem do topo: AP