O Facebook pagou centenas de terceirizados ao redor do mundo para transcrever algumas das mensagens de usuários do Messenger, de acordo com uma nova matéria da Bloomberg. A rede social parou de fazer as transcrições há uma semana, após a indignação pública depois que jornalistas revelaram que a Amazon, o Google e a Apple empregavam equipes semelhantes para revisar os comandos de voz da Alexa, do Google Assistente e da Siri. Mas, vamos combinar, essa notícia era uma bola cantada.

Isso sugere que os humanos estão ouvindo nossas gravações particulares com mais frequência do que pensávamos. As gravações que os terceirizados do Facebook estavam transcrevendo vieram do recurso de voz para texto no Messenger.

Essa é uma ferramenta aparentemente inofensiva que permite ditar suas mensagens em vez de digitá-las. Google, Apple e inúmeras outras empresas oferecem produtos similares, muitos dos quais são ferramentas essenciais de acessibilidade.

Não está claro por que o Facebook estava pagando para ter essas mensagens transcritas, embora pareça razoável que as transcrições humanas possam ser usadas para melhorar as habilidades de processamento de linguagem natural de seu software de inteligência artificial.

A parte nebulosa é o que o Facebook fez com essas gravações. Isso é assustador, para dizer o mínimo. Os empregados envolvidos, segundo a Bloomberg, não tinham ideia de onde as gravações de áudio vinham ou qual a finalidade das transcrições.

Enquanto isso, o Facebook nunca divulgou aos usuários que suas gravações de áudio seriam revisadas por humanos, embora eles tivessem que dar permissão ao Facebook para acessar seu microfone para fazer as gravações. Os usuários também precisavam ativar o serviço de voz para texto no Messenger.

Ainda assim, toda a situação coloca o Facebook de novo em uma situação estranha, mas familiar. Você certamente já conhece o boato de que o Facebook usa o microfone do seu celular para ouvir suas conversas e veicular anúncios com base no que você fala? Acontece que o Facebook estava fazendo meio que isso ao mandar as gravações de voz de usuários desavisados ​​para centenas de funcionários transcreverem.

Os terceirizados, que permaneceram anônimos por medo de retaliação, disseram à Bloomberg que estavam “ouvindo as conversas dos usuários do Facebook, às vezes com conteúdo vulgar” e descreveram o trabalho como “antiético”.

Agora, a atual controvérsia sobre humanos revisarem gravações de voz está prestes a explodir. Se o Facebook estava pagando aos contratados para ouvir as gravações que os usuários só queriam transcrever em texto, temos que nos perguntar se todas as empresas que oferecem algum tipo de recurso de voz também podem ter suas próprias equipes de estranhos ouvindo as gravações. Sabemos que a revisão humana é uma parte essencial da melhoria da tecnologia de voz. Então isso significa que sempre pode haver um humano escutando?

Você deve estar nervoso agora. Mas lembre que aquele seu tio paranoico que nunca trocou aquele celular velho vai tirar uma onda com a sua cara. “Eles estão sempre ouvindo”, ele sempre diz. E, no fim das contas, ele pode ter razão.