O Google quer esclarecer algumas coisas para quem usa smartphones da Huawei: os aplicativos e serviços do Google não podem ser pré-carregados em novos aparelhos Huawei e não estão disponíveis devido a restrições do governo dos Estados Unidos.

Se os usuários tentarem baixar aplicativos e serviços do Google por vias alternativas, ou essencialmente baixá-los de algum outro lugar que não seja a Play Store, coisas ruins podem acontecer.

A empresa publicou esta informação num artigo de apoio para a comunidade de ajuda do Android intitulado “Respondendo às suas perguntas sobre dispositivos Huawei e Google”, na sexta-feira. Ela disse que continuava a receber muitas perguntas sobre se os serviços do Google poderiam funcionar nos novos aparelhos Huawei e, portanto, queria oferecer orientação. O governo dos EUA proibiu o Google, e todas as empresas americanas, de fazer negócios com a Huawei em maio do ano passado devido a preocupações com a segurança nacional.

No artigo, o Google declarou que continuou a trabalhar com a Huawei para fornecer atualizações às aplicações e serviços Google nos modelos de dispositivos Huawei disponíveis ao público em 16 de maio de 2019 ou antes. Foi quando a empresa foi colocada na Entity List (Lista de Entidades), uma lista de proibição do governo dos EUA. O governo americano emitiu licenças gerais temporárias que permitem ao Google colaborar com a Huawei nesses modelos.

O Google disse que continuaria a fornecer atualizações aos dispositivos Huawei mencionados acima “enquanto fosse permitido”.

A empresa não pode fornecer atualizações de novos dispositivos Huawei disponibilizados após 16 de maio de 2019. Esses novos modelos não são dispositivos Play Protect certificados ou dispositivos que são avaliados pelo Google para garantir sua segurança, e eles não têm o software Play Protect pré-carregado. O software Play Protect do Google é uma proteção integrada contra malware para o Android.

“Para proteger a privacidade e a segurança dos dados dos utilizadores e salvaguardar a experiência geral, a Play Store do Google, o Google Play Protect e os principais aplicativos do Google (incluindo Gmail, YouTube, Maps e outros) só estão disponíveis em dispositivos certificados pelo Play Protect”, escreveu Tristan Ostrowski, diretor jurídico do Android e Play Store.

“Os dispositivos certificados pela Play Protect passam por um rigoroso processo de análise de segurança e teste de compatibilidade, realizado pelo Google, para garantir que os dados dos usuários e as informações dos aplicativos sejam mantidos em segurança. Eles também vêm de fábrica com nosso software Google Play Protect, que oferece proteção para que o dispositivo não seja comprometido”.

No entanto, existe outra forma de obter aplicações e serviços Google. Isso é chamado sideloading, ou baixar um aplicativo de algum outro lugar que não seja a Play Store. No artigo, o Google aconselha os usuários a não fazer isso, para sua própria segurança.

“Além disso, os aplicativos do Google carregados de forma alternativa não funcionarão de forma confiável porque não permitimos que esses serviços sejam executados em dispositivos não-certificados onde a segurança pode ser comprometida. O carregamento lateral das aplicações Google também acarreta um alto risco de instalação de uma aplicação que tenha sido alterada ou adulterada de forma que possa comprometer a segurança do usuário”.

Infelizmente para os usuários de dispositivos Huawei, a situação entre os EUA e Huawei não parece estar melhorando. O governo dos EUA alegou recentemente que tem provas de que a Huawei tem “acessos” que permitem espionar redes de telefonia móvel empregando equipamentos Huawei. Também acusou a Huawei de três novos crimes: conspiração para roubar segredos comerciais, conspiração para cometer fraude em redes telefônicas e conspiração de extorsão.

Pelo menos por enquanto, parece que os novos usuários de aparelhos Huawei terão de se acostumar a viver sem o Google mesmo.