Devido aos preços, dificilmente alguém apostaria que um smartphone da Apple foi o mais vendido do mundo, porém é isso o que diz um levantamento da consultoria de mercado Counterpoint Research, em uma pesquisa publicada na última terça-feira (24).

No caso, segundo a consultoria, o iPhone XR tem sido o smartphone mais vendido do mundo desde o quarto trimestre de 2018. No último período mensurado pela companhia, o terceiro trimestre de 2019, o dispositivo da Apple capturou 3% de divisão de mercado.

“O iPhone XR sozinho contribuiu com mais de 25% do total das vendas da Apple durante o trimestre, tornando-o o modelo mais vendido da Apple em todas as regiões”, diz o comunicado da Counterpoint Research. A Apple não divulga informações de venda por modelo desde o início do ano.

Gráfico da Counterpoint Research sobre smartphones mais vendidos mundialmente no terceiro trimestre de 2019Gráfico da Counterpoint Research sobre participação de mercado de smartphones mais vendidos mundialmente no terceiro trimestre de 2019

A consultoria cita ainda uma medida da Apple como justificativa para as boas vendas. A empresa da maçã ajustou o preço do iPhone XR na China e em vários outros mercados. Já o iPhone 11, o sucessor do iPhone XR lançado neste ano, apareceu na 5ª posição no ranking dos 10 smartphones mais vendidos durante o terceiro trimestre de 2019.

Fora do mundo Apple, o destaque fica por conta da Samsung. Entre os 10 mais vendidos, a companhia sul-coreana conta com três modelos: Galaxy A10 (2º lugar no ranking geral), Galaxy A50 (3º lugar) e A20 (7º lugar).

Importante lembrar que a série A veio para substituir a linha J, e ela reúne boas características em smartphones de gama intermediária.

É interessante notar que o Huawei P30, lançado no início do ano, apareceu na lista na 10ª posição. O aparelho ainda conta com os serviços do Google, o que, conforme nota a consultoria, é algo bem relevante fora do mercado chinês. Vale lembrar que o Mate 30, o topo de linha da marca para o segundo semestre, funciona sob o Huawei Mobile Service, portanto sem Play Store e outros apps do Google.

A Xiaomi também figura na lista com o Redmi 7A (foto abaixo), um smartphone de entrada, que tem uma bateria monstruosa de 4.000 mAh. Um dos grandes fatores para ele figurar no ranking, segundo a Counterpoint, foi o bom desempenho de vendas na Índia.

Smartphone Redmi 7AXiaomi Redmi 7A. Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

Intermediários dominando

A Counterpoint Research pontua o domínio de smartphones de gama intermediária no ranking entre os mais vendidos sobre os topos de linha. No ano passado, o top 10 contava com cinco aparelhos de alta gama; neste ano, são apenas três.

A razão disso é que cada vez mais as marcas têm apostado neste segmento, inclusive trazendo recursos que não estavam disponíveis nos aparelhos topo de linha do ano passado. Como exemplo, a consultoria cita o Galaxy A50, que tem câmera tripla e leitor de digital sob a tela, funcionalidades que o Galaxy S9 não tinha.

Por parte das marcas, este movimento levou a uma receita menor — mais especificamente, um declínio de 11% comparado com o mesmo período do ano passado. No entanto, existe aí uma boa oportunidade para modelos 5G e uma maior evolução no ramo de dispositivos de gama média.