Depois que o Netflix estreou no Brasil, surgiram diversos concorrentes e alternativas de streaming: Vivo Play, Claro Vídeo, Muu, Telecine Play… Mas há um notável concorrente que já atuava no país há anos: o NetMovies. Daqui em diante, no entanto, ele não tem mais a intenção de ser um oponente ao Netflix.

Sob nova direção, o NetMovies agora promete restabelecer a qualidade do serviço de entrega física de Blu-ray e DVD. O serviço de streaming, por sua vez, deve ser reformulado e oferecer um catálogo com filmes de arte.

Segundo o Estadão, o NetMovies vai mudar de estratégia depois que a empresa foi repassada a um funcionário, aparentemente por custo zero. O fundo americano Tiger Global – acionista majoritário da empresa – desistiu do negócio.

O que aconteceu? Basicamente, a estratégia de bater de frente com o Netflix fracassou. A empresa comprou três concorrentes em streaming: em 2006, a FlexFilmes; e em 2009, VideoFlix e Pipoca Online. No fim de 2010, a NetMovies recebeu R$ 11 milhões do Tiger Global para fortalecer a empresa na área de streaming.

No entanto, parece que o foco esteve na expansão física da empresa. O NetMovies oferece aluguel de DVD e Blu-ray, levando o disco na sua casa e deixando o tempo que você quiser. Antes de 2011, este serviço estava praticamente restrito a São Paulo. Mas nos meses seguintes, ele chegou a 93 cidades de dezoito Estados.

Fontes dizem ao Estadão que, com isso, o investimento no streaming “ficou aquém do necessário para rivalizar com a Netflix”. De fato, o catálogo online do NetMovies não se compara ao do concorrente: poucos filmes famosos, muitos títulos obscuros, tudo por um preço mais caro (R$ 18,90).

netmovies catalogo online

A situação só deve ter piorado com a entrada de grandes players nesse mercado, como Vivo e Claro. Ao fechar grandes contratos para streaming, provavelmente eles só tinham as sobras das distribuidoras para licenciar, enquanto a concorrência levava os melhores títulos. O catálogo do Netflix ainda é um calcanhar de Aquiles para o serviço – mesmo com quase 2.000 títulos, segundo contagens não-oficiais – mas o NetMovies não consegue disputar espaço nessas condições.

Além disso, a expansão física não deu certo. Como é possível saber? Porque Daniel Topel, que reassumiu a presidência da empresa em novembro, resolveu desmontar o negócio em diversas cidades. O serviço de entrega de DVD e Blu-ray agora só está disponível na Grande São Paulo.

O principal motivo devem ser os altos custos de logística. O NetMovies tentou emular o sucesso do Netflix nos EUA ao oferecer aluguel de filmes sem uma locadora física: você pede o DVD/Blu-ray pela internet e ele chega na sua casa. Mas a diferença de custo é grande: nos EUA, o Netflix usa o rápido sistema de correio; no Brasil, é preciso depender de uma rede de motoboys para fazer a entrega de forma pontual. O sistema de logística é inevitavelmente mais caro.

Nos últimos meses, o NetMovies sumiu do mapa, deixando de fazer propaganda e de postar nas redes sociais: a página do Facebook foi atualizada pela última vez em fevereiro, assim como a conta no Twitter – que passou a postar só quantos seguidores a empresa ganhou (e perdeu) a cada dia. Também não havia mais assessoria de imprensa para a empresa.

Em junho, Gustavo Capistrano Haramura ganhou o controle da NetMovies, onde ele trabalhou por seis anos. Ele fundou uma nova empresa, chamada Movies 4 Us, para administrar a marca e o catálogo do site. E como será o NetMovies sob nova direção? Haramura, agora diretor-executivo da empresa, diz ao Estadão:

Ele afirma que a empresa vai focar na qualidade da entrega dos DVDs na casa dos consumidores. O serviço de streaming deverá ser reformulado para atender o público que gosta de filmes de arte. “Não vamos mais concorrer com a Netflix, como na época do Tiger. Podemos ser um produto complementar.”

O NetMovies não é o único que falhou em conquistar espaço entre serviços de streaming no Brasil. A Enterplay fechou o cadastro para novos assinantes e agora atua em distribuição de vídeo sob demanda. O Assista Já, site que alugava filmes via streaming, estreou em 2010 mas sumiu desde então. E a locadora online do Terra, agora chamada SundayTV, perdeu o bom catálogo que tinha quando estreou no mesmo ano.

Alugar filmes pela internet se tornou negócio de grandes empresas. É possível fazer isso através do iTunes e Google Play, ou acessar um catálogo de filmes no Vivo Play ou Claro Vídeo. Dados os custos de licenciamento de conteúdo, mais os servidores – o catálogo do Netflix ocupa 3,14 petabytes de armazenamento na nuvem – o streaming de vídeo se tornou oficialmente um jogo de gente grande no Brasil. [Estadão]

Foto por Andrei Zmievski/Flickr