A Nokia voltou ao mercado brasileiro com uma estratégia focada em smartphones de entrada e intermediários. Hoje, a empresa trouxe mais dois aparelhos. O grande destaque é o Nokia 5.3, smartphone que faz parte do programa Android One e tem preço sugerido de R$ 1.899.

Anunciado no primeiro semestre e trazido agora para o Brasil, o Nokia 5.3 tem especificações técnicas que ficam dentro do que se espera de um intermediário atual.

O processador é um Snapdragon 665, octa-core de 2 GHz e processo de fabricação de 11 nm. Ele tem 4 GB de RAM e recebeu um reforço no armazenamento para o mercado local: aqui, são 128 GB, contra 64 no exterior.

A bateria é de 4.000 mAh e promete durar dois dias. É uma promessa ousada, já que não é uma bateria tão grande assim e o Android puro (falaremos mais dele adiante) costuma gastar mais energia — precisaremos testar para confirmar.

O que deve ajudar é a tela: com 6,55 polegadas, proporção 20:9 e tecnologia IPS LCD, ela tem resolução apenas HD+ e não FullHD. As imagens podem ser um pouco piores que as de outros aparelhos, mas isso também pode contribuir com a economia de bateria.

Em câmeras, o Nokia 5.3 conta com um conjunto quádruplo na traseira: câmera principal de 13 megapixels, ultrawide de 5 megapixels e ângulo de visão de 118 graus, macro de 2 megapixels e sensor de profundidade também de 2 megapixels. A câmera frontal tem sensor de 8 megapixels.

A exemplo do que acontece com outras fabricantes, todas as câmeras contam com inteligência artificial para modo retrato e aprimoramento de imagens. Além disso, o Nokia 5.3 tem modo noturno, para fotos com pouca iluminação.

Um diferencial do Nokia 5.3 é fazer parte do programa Android One. Ele roda Android 10, mas a empresa diz que o aparelho está pronto para o Android 11. O programa ainda garante dois anos de atualizações do sistema operacional e três de updates de segurança — e a Nokia faz questão de mostrar como ela é líder em manter os seus celulares com as versões mais recentes.

O aparelho é feito no Brasil na fábrica da Multilaser, em Extrema (MG). A empresa brasileira é parceira da HMD Global, que é a detentora da marca Nokia para eletrônicos e smartphones.

O Nokia 5.3 chega à loja oficial da marca e às principais varejistas do Brasil nessa quinta-feira (5) com preço sugerido de R$ 1.899. O aparelho também será vendido em uma parceria com a operadora Claro e estará disponível pela internet e, inicialmente, nas lojas do Rio de Janeiro.

HMD Connect

A HMD Global também aproveitou o lançamento do Nokia 5.3 para trazer outras novidades. Uma delas é o HMD Connect, serviço de operadora da empresa voltado para roaming internacional. O chip pode ser comprado junto com o aparelho e vem com 100 MB grátis para ser usado em 120 países.

O momento parece não ser dos melhores para viajar (afinal, tem uma pandemia rolando por aí) mas é interessante ter mais uma opção para continuar conectado no exterior.

Nokia C2

E o segundo aparelho? É o Nokia C2. Ele é um smartphone bem simples, com 1 GB de RAM, processador quad-core de 1,3 GHz e Android 9 na edição Go, a versão mais leve do sistema operacional.

O Nokia C2 tem preço sugerido de R$ 799 e também está à venda a partir desta quinta-feira (5).

Nokia 5.3 – ficha técnica

  • CPU: Qualcomm Snapdragon 665
  • RAM: 4 GB
  • Armazenamento: 128 GB + microSD até 512 GB
  • Tela: 6,55 polegadas HD+ (1600 x 720) com Gorilla Glass 3
  • Câmeras traseiras:
    • Principal: 13 megapixels f/1.8
    • Ultrawide: 5 megapixels, ângulo de visão de 118 graus
    • Macro: 2 megapixels
    • Profundidade: 2 megapixels
  • Câmera frontal: 8 megapixels f/2.0
  • Wi-Fi 802.11 b/g/n/ac
  • Bluetooth 4.2
  • NFC
  • Portas: USB-C 2.0, entrada para fone de ouvido
  • Rádio FM
  • Botão para Google Assistente
  • Sensor de impressões digitais na traseira
  • Dimensões: 164,28 x 76,62 x 8,5 mm, 180 g
  • Carregador de 10 W
  • Bateria de 4.000 mAh