No momento, não é exagero dizer que muitos smartphones têm designs muito semelhantes, mas os novos aparelhos de topo de linha da Huawei — Mate 40 e Mate 40 Pro — dispensam o familiar “bloco” de câmeras na traseira e adotam o que a empresa chama de “Space Ring”.

Como você esperaria de uma empresa que está competindo com a Apple e a Samsung pela supremacia no setor de smartphones, o Mate 40 vem com vários recursos premium. Isso inclui reconhecimento facial 3D, um sensor de impressão digital no display, uma tela OLED de 6,76 polegadas e 90 Hz que envolve as bordas do aparelho. O processador é um chip Kirin 9000 com 5G.

Huawei Mate 40

No entanto, o recurso mais atraente do Mate 40 é claramente sua câmera Space Ring. De forma nem um pouco discreta, as lentes rodeiam a marca da Leica, parceira da Huawei no desenvolvimento.

O Mate 40 e o Mate 40 Pro têm três câmeras, incluindo uma principal de 50 MP com um sensor bem grande, de 1/1,28 polegadas; uma Cinecam de 20 MP que usa uma lente ultra-grande angular f/1.8; e uma câmera telefoto (zoom óptico de 3x no Mate 40; zoom óptico de 5x no Mate 40 Pro) junto com um sensor dedicado de foco automático a laser.

Em suma, é uma configuração bem redonda, não só pelo design. A Huawei ainda ostenta recursos adicionais de câmera, como estabilização de vídeo Steady Shot do Mate 40, foco automático de rastreamento e modo câmera lenta de 3.840 fps a 720p. Parece que é um conjunto bastante consistente de ferramentas.

Controle por gestos do Mate 40, da Huawei

A Huawei diz que o Mate 40 pode usar seus sensores frontais e o processador neural atualizado para reconhecimento de gestos. Assim, você pode folhear as páginas de um ebook balançando as mãos para cima e para baixo na frente do telefone. Também dá para atender uma chamada ou controlar a música simplesmente pairando sua mão na frente da tela. E se você quiser silenciar a campainha do telefone, a Huawei diz que você pode fazer isso simplesmente olhando diretamente para o Mate 40.

Esses controles de gestos parecem muito com o que o Google estava explorando com o Motion Sense no Pixel 4, mas expandidos para ainda mais aplicativos e funções. Portanto, embora a Huawei ainda não tenha atingindo o nível de controles gestuais de ficção científica, estou feliz em ver que pelo menos uma empresa ainda não desistiu da ideia.

Algo interessante no Mate 40 é que ele não tem os mesmos controles sensíveis de volume presentes no Mate 30. Em vez disso, a empresa voltou a inserir botões tradicionais na nova linha de aparelhos.

Dupla de Huawei Mate 40

Caso todos esses recursos não sejam suficientes, hoje a Huawei apresentou dois membros ainda mais sofisticados da família Mate 40.

Um deles é o Mate 40 Pro+, que tem um zoom óptico de 10x e uma câmera de médio alcance bônus com zoom de 3x. E o outro é o Mate 40 RS com design ultra-premium da Porsche.

Em vez de uma câmera Space Ring, o Mate 40 RS apresenta um enorme relevo octogonal, uma parte traseira de cerâmica e uma faixa vertical para garantir que ele não vai ser confundido com os modelos mais baratos. E com 12 GB de RAM e 512 GB de armazenamento, o Mate 40 RS também é de longe o Mate 40 mais caro.

Huawei Mate 40+ e Mate 40 RSMate 40 RS

Vamos aos preços:

  • Mate 40: 900 euros (cerca de US$ 1.060)
  • Mate 40 Pro: 1.200 euros (cerca de US$ 1.400)
  • Mate 40 Pro+: 1.400 euros (US$ 1.650)
  • Mate 40 RS: 2.300 euros (US$ 2.700)

Não há previsão para chegada do aparelho no Brasil, da mesma forma que rolou com o Mate 30 no ano passado. Na Europa e na Ásia, ele chega às lojas em novembro.

Infelizmente, como a Huawei continua sem autorização para integrar o Google Mobile Service (conjunto de serviços do Google) e a loja Play Store em seus telefones, o suporte para muitos apps de uso comum no Ocidente continua indisponível, o que torna toda linha limitada, com predominância de aplicativos disponíveis no mercado asiático.

Não custa lembrar que a Huawei tem melhorado sua loja de apps, a App Gallery. A companhia, inclusive, lançou uma série de apps próprios projetados para substituir apps populares do Google, como Petal Search, Petal Maps e Huawei Docs. Não é uma solução total, mas já é alguma coisa.