Uma das principais consequências da treta entre EUA e a China é que a Huawei entrou para uma lista de entidades, que impede empresas americanas de fazerem negócios com a companhia. De forma prática alguns aparelhos novos da Huawei não podem ter apps do Google. Mas e como ficam os aparelhos previamente autorizados para ter aplicativos do Google?

Desta brecha saiu o Huawei Nova 5T, que começou a ser vendido no Brasil em abril. Ele é basicamente o Honor 20 — Honor é a marca de “smartphones intermediários” da Huawei, presente em alguns mercados. Então, ele ainda tem Play Store e todos os apps do Google, porém o aparelho vem também com a App Gallery.

Utilizei o telefone por um bom tempo e posso dizer que é um aparelho com desempenho bem bom, uma bateria um pouco abaixo de aparelhos da mesma categoria, mas com um carregador rápido que ajuda a compensar.

Visual

Estamos falando de um smartphone com bordas arredondadas e tela LCD de 6,26 polegadas Full HD. Ele é um sanduíche de vidro, o que confere a ele um ar mais premium. Mesmo assim. ele não suporta carregamento sem fio no padrão Qi, como os iPhones e o Galaxys mais recentes. O sensor de biometria dele fica na lateral direita, mais especificamente no botão de ligar.

Huawei Nova 5T
Huawei Nova 5TO que é
Smartphone intermediário da Huawei com loja do Google
Preço
R$ 2.999 (sugerido), mas você acha no varejo por R$ 2.000
Curti
Bom conjunto de câmeras, carregador rápido, apps do Google
Não Curti
Bateria, atualização não está garantida, faltam títulos à App Gallery

Uma grata surpresa ao abrir a caixa do smartphone é que vem uma capinha transparente com o Nova 5T, o que tem sido uma prática recorrente no mercado brasileiro. O próprio Huawei P30 Pro do ano passado vinha com um case, e por aqui isto tem sido feito com a Motorola em praticamente todos os novos aparelhos da marca.

Detalhe da câmera frontal do Huawei Nova 5T

Mesmo sendo de vidro, ele não chega a ser um aparelho pesado (174 gramas) e tem uma largura interessante, o que facilita o manuseio dele.

Parte superior do Huawei Nova 5T

Bateria ok

A bateria é de 3.750 mAh, sendo que o comum é que os dispositivos mais recentes tenham pelo menos 4.000 mAh. A marca, imagino, quis compensar isso incluindo um carregador de 22,5 W, que é bem rápido. De 20% a 100%, o carregamento é feito em 1h5min; de 20% a 80% em 40 minutos. O processo fica mais lento quando você quer ir de 0 a 100%. Aí, você pode esperar uma hora e meia, pelo menos para o processo.

Na prática, estamos falando de mais ou menos 9 horas de tempo de tela. Para ter ideia de um dia de consumo, usava o Twitter por 1,5 h, jogava pelo menos 1 hora de 8 Ball Pool, naveguei no Instagram por 50 minutos, dei uma olhada no Facebook por uns 30 minutos e conversei no WhatsApp por uns 20 minutos. O resto foi em navegações curtas no TikTok, usando câmera ou usando o Chrome para acessar alguns links.

Porta USB-C do Huawei Nova 5T

Consegui ficar um dia sem carregá-lo, porém quando chega aos 20%, a interface do smartphone faz questão de lembrar o usuário que sua bateria está acabando. Às vezes enche o saco, mas a companhia não está de todo errada, pois existem estudos que mostram que é bom não deixar descarregar muito e que carregar sempre mais que 80% pode aumentar os ciclos de bateria, fazendo com que ela se deteriore mais ainda no longo prazo.

Desempenho

No que diz respeito ao desempenho, o Huawei Nova 5T tem 8 GB de RAM e o chip presente é o Kirin 980, o mesmo do Huawei P30 Pro. Se você quiser ter uma noção de comparação, ele é equivalente ao Snapdragon 855, da Qualcomm, presente em smartphones como o Galaxy Note 10+ do ano passado. Então, estamos falando de um chip topo de linha do 2019, o que ainda dá um bom caldo, diga-se de de passagem (aliás, com os topos de linha cada vez com preços altíssimos, o melhor a se fazer é comprar aparelhos do ano passado).

Ele é um chip de 7 nm, como o Snadpragon 855. Se você curte benchmarks e afins, o XDA Developers tem uma boa análise sobre isso, mas de forma resumida o site especializado diz que o Snapdragon 855 é melhor para jogos, pois a GPU é levemente superior à opção da Huawei. No dia a dia, confesso, não notei grandes diferenças de desempenho, sobretudo em jogos. Rodou bem FreeFire (com direito a Booyah e tudo o mais!) e Asphalt 9. Meu único problema é que com o decorrer do jogo e com fases com mais ação, havia leves travamentos no carregamento de efeitos gráficos. Mas era algo administrável, pelo para mim que sou um jogador casual. Não atrapalhou minha diversão.

Booyah! no jogo Free Fire

EMUI, a interface da Huawei

O Nova 5T vem de fábrica com a interface da Huawei EMUI 9.1, que é baseada no Android 9, porém, após algumas atualizações, o aparelho já está com a EMUI 10.1, baseada no Android 10.

Toda a navegação do smartphone é por gestos, e a Huawei aproveita sua personalização para trazer recursos que ainda não chegam oficialmente no Android 10. Um dos mais proeminentes é o de gravar a tela — algo que já está disponível no iPhone já há algum tempo. Mesmo sem o app Google Home, ele também vem com uma funcionalidade que facilita transmitir a tela para um Chromecast.

Pessoalmente, não gosto muito do visual da interface da Huawei os ícones são quadrados com cantos arredondados, mas tem quem goste — lembra um pouco o padrão dos ícones do iOS. Além disso, você vai contar com uma série de apps já pré-instalados — de um instalador para Fortnite a alguns famosos na china, como o Aliexpress (que manda notificações de promoções com alguma frequência) e o Kwai, uma rede social de vídeo, parecida com o TikTok, que também envia periodicamente notificações bizarras.

Como já disse lá no início, este ainda é um smartphone certificado pelo Google, então a Play Store está lá para baixar todos os apps conhecidos que você precisa. Porém, ele também conta com a App Gallery, a opção da Huawei.

Em smartphones como o Huawei P40, que ainda não foi lançado, só tem a App Gallery, e a situação lá não é das melhores no que diz respeito a opção. WhatsApp, por exemplo, não tem, mas ele dá o endereço para baixar um arquivo APK com a última versão no site da própria plataforma de mídia social. Porém, como fica a atualização? Não tem jeito, só entrando novamente no site de download e baixando a versão mais nova.

Interface App Galery, da HuaweiInterface da App Gallery

Se você usa Spotify, Netflix, Prime Video, você não vai achar opção no App Gallery. Pelo menos, eles têm uma opção simpática que é avisar quando for disponibilizado. Lá também tem apps com versões alternativas — que não parece ser do desenvolvedor original. O jogo “8 Ball Pool” é produzido pela miniclip.com; na loja de apps da Huawei a grafia aparece “8 ball pool” e o desenvolvedor aparece como sendo uma pessoa chamada Anis Bikou.

Em compensação, é possível ver vários apps populares na loja da Huawei. Tem Deezer, Tidal, Snapchat, Amazon Shopping, McDonald’s, Here WeGo (mapas), Casas Bahia, vários apps da Microsoft (SwiftKey, Notícias, Office), Zoom, entre outros.

Como já disse, o Nova 5T ainda tem a loja e apps do Google, mas o Huawei P40, não. Aos poucos, a Huawei tem aumentado o número de apps disponíveis, mas fica difícil ofertar um smartphone topo de linha com câmera e processador bons, se não tem os apps que as pessoas mais costumam baixar.

Fotos feras

O Nova 5T tem tantos modos de câmera que seria possível fazer um review só disso. O software escaneia documentos, lê QR code, traduz textos, faz busca de produtos baseado numa foto, identifica plantas e até conta calorias de comida. Se o Google tem o Google Lens, o telefone da Huawei também tem seus truques de inteligência artificial para câmera.

Câmeras Huawei Nova 5T

Quanto ao sensores, na frente, o Nova 5T vem com uma câmera de 32 MP, que ocupa um pequeno buraco no canto da tela. Na traseira, são quatro sensores:

  • 48 MP principal
  • 16 MP ultrawide
  • 2 MP macro
  • 2 MP de profundidade

De cara, o que eu mais gostei foi que a interface de câmera tem um nível horizontal, que ajuda a evitar fotos tortas e o modo noite. A gente já tinha curtido as imagens noturnas do Huawei P30 Pro, então o Nova 5T segue a mesma linha de qualidade, apesar de não ter o super zoom do aparelho do ano passado.

Atualmente, tem um monte de telefone que promete fotos noturnas bacanas, mas na maioria das vezes é só um tapa feito via software. Por aqui, ao tirar fotos em condições de luz ruins, o telefone instrui o usuário a manter o smartphone estabilizado por até uns 5 segundos — ele analisa a cena e determina quanto tempo o obturador deve ficar aberto.

Com a junção de software mais uma maior exposição à cena, as imagens saem nítidas na maioria das vezes. Então, o Nova 5T pega efeitos de luz sem estourar a cena e só granula a imagem em situações em que a cena está muito escura. Importante ressaltar que este mesmo cuidado com o modo noturno ocorre com a lente ultrawide, não só com o sensor principal.

Em cenas bem iluminadas, os sensores mandam bem, inclusive em cenas feitas no modo macro, em que você se aproxima bastante do objeto a ser captado.

Conclusão

Com smartphones de gama intermediária das principais marcas se aproximando da faixa de R$ 2.000, o Nova 5T pode ser uma boa opção para brigar neste ramo, ainda que ele seja um “intermediário avançado”.

Digo isso, pois seu processador é de um aparelho topo de linha do ano passado e tem um bom conjunto de câmeras — pelo menos, melhor que dos intermediários, como Moto G8 e Galaxy A51, que eu testei recentemente.

O ponto negativo fica por conta da bateria e da incerteza por muitas atualizações. Aparentemente, o Nova 5T vai receber o Android 11, que no caso seria sua segunda atualização, já que ele sai de fábrica com o Android 9.

Pessoalmente, gostei muito do aparelho e o utilizei por muito tempo. Confesso que é uma pena tudo isso que está acontecendo com a marca, pois, se não fosse, teríamos vários outros lançamentos da Huawei, seja de gama intermediária ou de gama alta. Quem acaba perdendo nesta briga entre EUA e China é o consumidor.