Na última segunda-feira (27), o mundo registrou o maior número de infecções por Covid-19 num único dia: 1,4 milhão de casos confirmados. Os dados foram retirados da plataforma Our World in Data, mantida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Essa é a primeira vez em que são registrados mais de um milhão de casos da doença em um único dia. Desde o início da pandemia, em 2020, o número de casos diário ultrapassou a marca de 900 mil pessoas apenas quatro vezes. Todas elas foram em 2021.

O avanço atual pode estar ligado ao impacto da variante ômicron na Europa e Estados Unidos. 54,5% dos 1,4 milhão de casos registrados ontem eram do continente europeu. Enquanto isso, o país norte-americano foi responsável por 37% do total. 

Vale lembrar que alguns países, como o Reino Unido, que somou 23% destes casos, acabam sendo referência em testagem. Por conta disso, é possível que outras regiões tenham ainda mais pessoas infectadas, mas que não foram reconhecidas oficialmente.

Alguns países estão voltando a adotar restrições do lockdown para conter a variante ômicron. Na Alemanha, por exemplo, encontros em grupo não podem acontecer com mais de 10 pessoas, e todas devem estar vacinadas ou recuperadas da Covid-19. Na França, os trabalhadores terão que trabalhar direto de casa pelo menos três vezes por semana.

74 casos da variante ômicron registrados no Brasil e outros 116 em investigação pelo Ministério da Saúde. A variante parece causar quadros leves da doença, mas é mais transmissível que a delta. 

Ao mesmo tempo, cidades brasileiras registram surtos de gripe causados pelo vírus Influenza. Os sintomas de gripe e Covid-19 podem acabar se confundindo. Por isso, a testagem segue sendo recomendada mesmo quando o paciente apresenta apenas sintomas leves da doença.