Após meses de muita especulação, a Sony enfim revelou o preço do PlayStation 5. O console custará US$ 400, na versão 100% digital que não tem leitor de disco, e US$ 500, para o modelo tradicional. Ambos serão lançados nos Estados Unidos em 12 de novembro, e uma semana depois, em 19 de novembro, para o “resto do mundo”, embora a fabricante tenha destacado que isso vai depender da disponibilidade para cada país. A pré-venda começa nesta quinta-feira (17), em lojas selecionadas nos EUA.

No Brasil, essas informações ainda são um mistério. É bem provável que vejamos o PS5 nessa segunda leva de países, em 19 de novembro, pois já tem até página oficial da Sony para o videogame por aqui. O The Enemy afirma ter recebido um comunicado da Sony confirmando o lançamento no dia 19 de novembro. Preços em reais não foram revelados.

A Sony anunciou nesta semana que vai fechar sua fábrica de TVs, produtos de som e câmeras em Manaus. Contudo, isso não deve afetar a divisão PlayStation, uma vez que os consoles são importados desde 2017 e vendidos através de parceiros.

Para efeito de comparação, o Xbox Series X sai por US$ 499 nos EUA, enquanto o Xbox Series S custa US$ 299. Os dois aparelhos chegam ao mercado dois dias antes do PlayStation 5, em 10 de novembro de 2020.

Outra informação revelada durante a transmissão da Sony nesta quarta-feira (16) é que, no dia do lançamento do PS5, donos do console que forem assinantes da PS Plus terão acesso a um catálogo de clássicos (exclusivos ou não) para PlayStation para jogar no novo videogame – isso sem custo adicional. Entre os títulos estão God of War, Persona 5, The Last of Us, Bloodborne, Uncharted 4 e Battlefield 1.

E claro, também teve a divulgação de alguns trailers e teares de jogos inéditos que estarão no PS5. Estes foram os meus favoritos:

Final Fantasy XVI

Spider-Man: Miles Morales

Resident Evil Village

God of War: Ragnarök

Sobre o PlayStation 5

Anunciado oficialmente em março deste ano – no caso, a ficha técnica completa do aparelho -, o PlayStation 5 virá com uma CPU AMD Zen 2 octa-core de até 3,5 GHz, chip gráfico com arquitetura RDNA 2 com poder gráfico de 10,28 Teraflops e frequência de até 2,23 GHz, e um SSD superrápido de 825 GB com taxa de transferência de 5,5 GB/s para arquivos no tamanho original e até 9 GB/s para descomprimir arquivos em formato zlib e kraken.

O console também é compatível com HDs externos USB ou SSD NVMe (PCle 4.0), desde que atendam às especificações da Sony (neste caso, a companhia precisa validar o drive para garantir seu funcionamento). Possui ainda leitor ultra HD Blu-ray, suporte à tecnologia Ray Tracing, que cria efeitos de luz e sombreamentos mais reais em tempo real, e pode rodar jogos em resolução 4K até 120 Hz ou 8K.

O PS5 também trará o novo controle DualSense que, além de ter um design diferente do DualShock tradicional, inclui uma tecnologia de feedback háptico (parecida com a que encontramos nos smartphones) para dar mais precisão durante o gameplay. O acessório vem ainda com microfone embutido, gatilhos L2 e R2 adaptáveis, e conector USB-C para recarga. Por falar em controle, vale destacar que o DualShock 4 será compatível com o PS5, mas somente em jogos de PS4 que forem disponibilizados para o novo console.

PlayStation 5 ao lado do DualShock 5

Imagem: Sony

Aqui um detalhe curioso: o PS5 é o primeiro console de mesa da Sony que vem sendo apresentado na posição vertical. Obviamente, você poderá deixar o aparelho na horizontal, mas o design em pé deve ajudar na ventilação do sistema.

Agora é esperar para ver quanto o novo console vai custar aqui no Brasil. Mas venho com um spoiler: é melhor ir quebrando o porquinho.