Enquanto acompanhávamos os testes de lançamento — e subsequentes explosões — dos protótipos Starship, a SpaceX já estava desenvolvendo a outra parte do seu sistema de transporte espacial, o booster “Super Heavy”. Ele foi apresentado pelo próprio Elon Musk no Twitter na quinta-feira (18).

O booster de 70 metros de altura será responsável por lançar as naves Starship — que medem 50 metros cada — da Terra até o espaço. De acordo com o tuíte de Musk, o Booster 1 “é um pioneiro da produção”, com o objetivo de ajudar a empresa a descobrir como construir e transportar um estágio de 70 metros de altura; já o Booster 2 é o que voará.

Quando finalizados, os foguetes Starship e o booster Super Heavy transportarão carga e pessoas até a Lua, Marte e outros locais distantes. Uma das principais vantagens é a promessa de Musk de que eles serão totalmente reutilizáveis. Logo após decolar, o Super Heavy retornará à Terra para um pouso vertical da mesma forma que já ocorre com o Falcon 9 e o Falcon Heavy, permitindo que a Starship realize uma série de viagens entre Terra, Lua e Marte.

Imagem do booster Super Heavy, de 70 metros, compartilhada por Elon Musk no Twitter em 18 de março de 2021. Crédito: SpaceX via Elon Musk/Twitter

Conforme apontado pela Space.com, a Starship será capaz de se lançar sozinha quando estiver nesses locais distantes para retornar ao nosso planeta. No entanto, considerando que a massa da Terra é muito maior, ela precisará do Super Heavy quando decolar daqui.

Assine a newsletter do Gizmodo

Embora não haja uma data exata definida, a SpaceX pretende lançar a Starship em órbita em algum momento deste ano. O objetivo final é que o sistema completo, incluindo o Super Heavy, esteja totalmente operacional em 2023. A expectativa é que esse cronograma seja seguido sem atrasos, principalmente se considerarmos que o tour à Lua já tem assentos marcados.

[Space.com]