Teclados de MacBooks ainda têm problemas e teclas travam por causa de sujeira

Problemas em teclados borboleta de MacBooks persistem, fazendo com que teclas travem ou simplesmente repitam caracteres. Apple pede desculpas por falha.

MacBook Air 2018

Alex Cranz/Gizmodo

Desde 2015, a Apple implementou em seus MacBooks uma nova tecnologia de teclado que a empresa chama de borboleta, e isso causou várias complicações — se entrar alguma sujeira, as teclas paravam de funcionar ou passavam a repetir caracteres. Ano passado a Apple disse que tinha consertado o problema, mas, segundo uma reportagem do Wall Street Journal e por experiência própria, as coisas continuam ruins para quem tem MacBook com teclado borboleta.

Antes de ir adiante, é importante diferenciar as tecnologias de teclado. Antes de 2015, a empresa usava o teclado tesoura, presente na maioria dos laptops (você pode ver na imagem abaixo como ele é). No entanto, para deixar os aparelhos mais finos, passou a usar o teclado borboleta.

O problema do teclado borboleta são esses espacinhos que ficam na borda do mecanismo. Se entrar qualquer tipo de poeira, a tecla para de funcionar ou passa a “grudar os encaixes”, fazendo com que os caracteres sejam digitados repetidamente. Então, é comum sair uns “CCCC” ou uns “EEEEE” do nada.

Nos MacBooks vendidos no ano passado, portanto os de terceira geração do teclado borboleta, a Apple começou a colocar uma membrana plástica para proteger as teclas de sujeiras. Mesmo assim, muita gente reclama que o problema de repetição de tecla ou de teclas desativadas continua rolando.

Na reportagem do Wall Street Journal, um porta-voz da Apple lamentou o problema e disse que ele “ocorre com um pequeno número de usuários” e que “a maioria dos donos de MacBook tem tido uma boa experiência com o novo teclado”.

No ano passado, um monte de gente reclamou dos teclados de seus MacBooks a ponto de processarem a fabricante. A Apple, motivada pela ação judicial ou não (vai saber, né?), criou um programa de reparo aplicável para laptops comprados entre 2015 e 2017.

No fim das contas, não há muito o que fazer. No vídeo do WSJ, é recomendado a troca do laptop (se ele tem até um ano, é possível fazer isso), usar algum sistema de jato de ar para ajudar a limpar ou ainda usar o Unskaky, um app ainda em fase de testes e que apaga automaticamente quando o teclado repete algum caracter.

É um pouco triste que em 2019 ainda tenhamos computadores com teclados que param de funcionar por causa de sujeira.

Como sugerido pelo WSJ, talvez o problema repetido — que já ocorre com alguma frequência desde 2015 — faça alguns consumidores tomarem uma medida um pouco mais drástica, como mudar para outros laptops finos e com faixa de preço igual ou inferior, como a linha XPS, da Dell, o Matebook X, da Huawei, ou Swift 7, da Acer.

[Se tiver tempo, dê uma olhada na matéria e no vídeo da Joanna Stern, do Wall Street Journal, sobre o assunto — desde os tempos do David Pogue, do NYT, ela talvez seja uma das melhores jornalistas a abordar assuntos de tecnologia de forma simples e fácil]

[WSJ]

Sair da versão mobile