Já se foi o tempo em que o ato de trocar o HD do computador era

uma péssima notícia.

Por mais que seja trabalhoso migrar gigabytes de fotos e arquivos para uma nova unidade, a verdade é que trocar os antigos discos rígidos pelos atuais SSDs (“Disco em Estado Sólido”, na sigla em inglês) é a melhor coisa que você pode fazer pelo seu computador.

Em vez de uma agulha magnética que grava e lê dados em um disco mecânico, o SSD funciona como uma espécie de pendrive, gravando arquivos em um circuito.

A mudança entre essas duas infraestruturas faz toda a diferença, com o SSD se destacando na dianteira.

Como não possui partes mecânicas móveis, o SSD entrega um melhor desempenho ao computador sem que o usuário precise fazer grandes investimentos.

Computador mais rápido

De forma geral, um computador equipado com um SSD consegue ler os dados cerca de três vezes mais rápido do que um HD comum. Ele também é duas vezes mais rápido para armazenar as informações.

Enquanto os HDs têm uma velocidade de 150 Mbps, os modelos mais simples de SSD podem ultrapassar os 500 Mbps na leitura e 300 Mbps na gravação.

De cara, o computador carrega muito mais rápido o sistema operacional, algo bem-vindo em tempos de home office. Por mais que o usuário utilize programas e arquivos mais pesados, a melhoria no desempenho é perceptível, pois todos aqueles pequenos momentos de espera para abrir arquivos são reduzidos significativamente.

Até mesmo tarefas corriqueiras, como navegar na internet, se tornarão mais rápidas. Com os arquivos de cache do navegador sendo armazenados em um SSD, eles serão carregados quase instantaneamente em vez de mais lentamente a partir de uma unidade mecânica.

O SSD reúne ainda outras vantagens, como menor peso, melhor consumo energético, menos aquecimento e ausência de ruídos.

Como trocar o HD

Antes de comprar um novo SSD, é preciso saber se a placa mãe do PC possui as entradas compatíveis, do tipo SATA ou M2. Caso tenha um barramento PCIe disponível, também é possível adquirir SSDs que se encaixam na placa da mesma forma do que uma placa de vídeo ou de áudio.

A instalação do SSD é bem simples, basicamente da mesma forma que é feita com um disco rígido. Basta desligar o PC, abrir o gabinete e inserir a nova unidade.

Caso o antigo HD ainda esteja funcionando, ele pode ser utilizado em paralelo, para ganhar espaço adicional ou servir como meio de backup.

Já trocar o HD por um SSD no notebook pode ser um pouco mais complicado, mas, na maioria dos casos, não é muito difícil. Também é possível encontrar na internet adaptadores que permitem instalar o SSD no mesmo espaço que antes era ocupado pelos drives de CD ou DVD.

Desvantagens do SSD

Apesar de o preço ter caído nos últimos anos, os SSDs ainda são mais caros quando comparados com a capacidade de armazenamento dos tradicionais discos rígidos.

Modelos de SSDs de 240 GB custam atualmente cerca de R$ 250. Por esse mesmo preço é possível encontrar HDs com capacidade de 1TB.

Entretanto, com a popularização da computação em nuvem,muita gente tem migrado os arquivos, com o disco sendo utilizado apenas para rodar o sistema operacional e alguns programas.

Outra desvantagem é que o SSD tem uma vida útil mais curta do que o HD. No disco rígido, o calor gerado pelo movimento contínuo das partes móveis é o responsável por causar falhas e quebras ao longo do tempo. Já no SSD, a vida útil varia de acordo com a quantidade de ciclos de gravação, que podem durar em média entre 3 mil e 10 mil ciclos.