O Twitter começou a dar pistas sobre novos recursos que podem estar a caminho da rede social. Isso inclui a possibilidade de um usuário se desmarcar das postagens de outro ou até mesmo bloquear a capacidade de outra pessoa de marcá-lo em um tweet. Por enquanto, tudo está na base do conceito e não há previsão das funções serem disponibilizadas.

As sugestões vêm do engenheiro de privacidade do Twitter, Dominc Camozzi, que solicita o feedback dos usuários sobre um possível lançamento dessas funcionalidades. Camozzi até publicou imagens de como isso funcionaria: haveria um botão com os dizeres “Retirar-se desta conversa”. Neste caso, além de parar de receber notificações, o usuário teria qualquer link para o seu perfil removido daquela conversa.

Outra possível atualização permitiria ao usuário definir que pessoas que ele não segue fiquem impedidas de marcá-lo em novas postagens. Ao tentarem fazer isso, elas se deparariam com um aviso dizendo que o usuário em questão não pode ser mencionado por elas.

Um porta-voz do Twitter confirmou ao TechCrunch que os tweets de Camozzi eram uma “simulação de visual” que permanece “ainda nos estágios iniciais de design e pesquisa”, embora a empresa esteja “entusiasmada com o feedback da comunidade, mesmo neste estágio inicial”. No entanto, alguns problemas ainda precisam ser resolvidos — por exemplo, se esse bloqueio de citação poderá afetar tweets agendados.

Assine a newsletter do Gizmodo

Ferramentas anti-assédio

O lançamento desses recursos poderia significar uma das maiores atualizações do Twitter focada em anti-assédio. O site lida frequentemente com bullying desenfreado, discurso de ódio e conteúdos difamatórios. E nem sempre a companhia toma atitudes imediatas para frear a propagação dessas postagens. Com a possibilidade de marcar quem pode ou não fazer citações, usuários que integram comunidades marginalizadas ou vulneráveis podem reduzir o alcance dessas interações cheias de toxicidade.

Ainda não se sabe se os novos recursos, caso sejam lançados, estarão disponíveis para todos os usuários ou se estará incluso dentro da assinatura do Twitter Blue, que começou a ser testado no Canadá e Austrália há alguns dias e deve chegar ao Brasil em breve.