Enquanto aguardamos o retorno do WhatsApp Pay aqui no Brasil, o Facebook conseguiu a aprovação do serviço em outro mercado que, no caso, é o maior da empresa: a Índia. Porém, assim como no Brasil, a jornada não foi tão simples. A solução de pagamentos estava sendo testada desde 2018, mas preocupações em relação ao armazenamento e compartilhamento de dados impediram o seu lançamento oficial.

Isso mudou na quinta-feira (5), quando a Corporação Nacional de Pagamentos da Índia (NPCI) finalmente aprovou o WhatsApp Pay. O Facebook logo confirmou a notícia com uma publicação em seu blog e com um vídeo do próprio Mark Zuckerberg explicando o funcionamento do serviço.

Conforme explica o CEO da gigante de mídia social, os usuários poderão “enviar dinheiro facilmente pelo WhatsApp da mesma forma que enviam mensagens”. Quem quiser utilizar o serviço, precisará de uma conta bancária e cartão de débito. Para garantir a interoperabilidade, as transferências serão realizadas por meio da Interface de Pagamentos Unificada (UPI), que é o sistema de pagamentos instantâneos da Índia.

Apesar da aprovação, o The Verge ressalta que a NPCI ainda está cautelosa em relação ao novo serviço de pagamentos. O órgão regulador determinou que o WhatsApp Pay deverá ser lançado de forma gradual, com um limite inicial de 20 milhões de usuários registrados. Isso é uma restrição significativa para o WhatsApp, considerando que a Índia representa o maior mercado do aplicativo, com 400 milhões de usuários. Além disso, a partir de janeiro de 2021, nenhum aplicativo de pagamentos poderá processar mais que 30% do volume total de transações da UPI por mês.

Aqui no Brasil, o WhatsApp Pay havia sido lançado em junho, mas logo foi suspenso pelo Banco Central. Por enquanto, o sistema ainda está sob análise, mas a expectativa é que ele seja aprovado apenas quando o Pix já estiver funcionando. Explicamos aqui quais são os principais pontos dessa história.

[The Verge]