A Xiaomi revelou hoje seu mais novo celular, e o negócio dele é fotografia. O Mi CC9 Pro tem cinco câmeras na parte de trás, sendo a principal delas um sensor de 108 megapixels da Samsung. Além disso, ele conta com bateria grande, processador potente, carregamento rápido e um preço bem atraente.

Vamos começar falando das câmeras. Como dissemos, são cinco na traseira do aparelho, cada uma com uma característica específica.

A câmera principal conta com um sensor ISOCELL Bright HMX, da Samsung, de 108 megapixels — ele já tinha sido apresentado em agosto. Ele tem 1/1,33 polegadas de tamanho, o que é, a título de comparação, três quartos do sensor do sensor da câmera Sony RX100 VII da Sony, uma das principais compactas da marca japonesa.

Apesar de o número de megapixels, por si só, não significar qualidade, o sensor abre possibilidades interessantes, como gravar vídeos em resolução 6K ou combinar os pontos e tirar fotos de 27 megapixels em condições de iluminação ruins. A ver como tudo isso se sai na prática.

E as outras câmeras? Tem duas para zoom óptico. Uma aproxima a imagem em 2x e tem sensor de 12 megapixels. A outra aproxima em 5x e tem sensor de 5 megapixels.

Isso pode ser interessante para resolver uma queixa que tivemos ao testar o Motorola One Zoom: a lente telefoto dele oferece zoom óptico de 3x, o que pode comprometer algumas fotos por aproximar demais, o que limita suas possibilidades de uso. Com duas lentes de aproximações diferentes, deve ser possível enquadrar cada objeto com uma lente mais apropriada.

Além disso, há uma lente ultrawide de 117° de visão e sensor de 20 megapixels e uma lente macro com sensor de 2 megapixels e pontos de 1,75 µm.

Ainda em fotografia e vídeo, o Xiaomi Mi CC9 Pro ainda conta com estabilizador ótico de quatro eixos, dois LEDs com intensidades diferentes para iluminar situações escuras e câmera lenta de 960 quadros por segundo.

Por fim, tem também a câmera selfie, a sexta do conjunto, que conta com 32 megapixels.

Câmeras à parte, o Mi CC9 Pro parece ser um telefone potente e com especificações interessantes. Ele vem com processador Qualcomm Snapdragon 730G, com processo de 8nm, e versões com 6 GB e 8 GB de RAM. A bateria tem impressionantes 5.230 mAh de capacidade, e o aparelho vem com um carregador de 30 W. A tela é uma AMOLED curvada de 6,47 polegadas e resolução FullHD+.

O Mi CC9 Pro tem preços bem interessantes: a versão de 6 GB de RAM de armazenamento custa 2.799 yuan (US$ 400 ou R$ 1.600), enquanto a versão de 8 GB de RAM sai por 3.099 yuan (US$ 440 ou R$ 1.770). As duas têm 128 GB de armazenamento.

Há ainda uma edição limitada, chamada de Premium Edition, com 256 GB de armazenamento e 8 GB de RAM. Ela será vendida por 3.499 yuan (US$ 500 ou R$ 2.000)

Este modelo será exclusivo do mercado chinês. No resto do mundo, segundo o Android Central, uma versão do aparelho batizada de Mi Note 10 deve ser anunciada nesta quarta (6), em um evento em Madri, na Espanha.

Detalhe do smartphone da Xiaomi Mi Note 10 com cinco câmeras

Por aqui, a Xiaomi tem um evento marcado para quinta (7). O convite falava em “evolução da fotografia mobile”. Será que teremos o Mi Note 10 já por aqui oficialmente? Estaremos lá para contar para vocês.

[Engadget, Android Central]