O mercado de smartphones tem funcionado da seguinte forma: as principais especificações aparecem primeiro em aparelhos topo de linha e, aos poucos, vão sendo disponibilizadas em aparelhos de gama menor. Os novos chips da Qualcomm anunciados nesta terça-feira (9) são um retrato disso. De cara, podemos falar que smartphones intermediários vão ganhar recursos gamers e novas funcionalidades de fotografia e inteligência artificial.

Ao todo, a empresa apresentou três SoC (System on a Chip) — chip que inclui CPU, GPU, modem, entre outros itens da eletrônica de um smartphone — da linha Snapdragon. São eles: Snapdragon 665, Snapdragon 730 e Snapdragon 730G. A Qualcomm diz que até o fim do ano serão lançados aparelhos com estes chips.

Chips Snapdragon 665, 730 e 730G

Na linha Snapdragon, quanto maior o número, mais potente. Então, aqui vamos começar do mais simples para o mais sofisticado.

É importante ressaltar que apesar das especificações que você verá abaixo, é o fabricante que decide se vai disponibilizar todos os recursos ou não. Até porque cada empresa sabe o nicho de usuário que quer atingir e o preço do aparelho que ela quer vender.

Snapdragon 665

A linha Snapdragon 600 costuma equipar, por exemplo, smartphones da linha Moto G. Porém, como vocês verão a seguir, este parece um chip para a linha A, da Samsung, que ultimamente conta com múltiplas câmeras.

Para começar, estamos tratando aqui de um chip de 11 nm — no fundo, quanto menor a arquitetura do chip, menores são os nós, tornando-os mais eficientes. A título de curiosidade, os chips de aparelhos topo de linha são de 7 nm. Ele tem CPU Kyro 260 octa-core e GPU Adreno 610.

No SoC vem o modem X12, da Qualcomm. Isso quer dizer, na prática, que aparelhos com este chip poderão suportar o que se chama no Brasil de 4.5 G, algo que só está presente majoritariamente em smartphones topo de linha. Ele também suporta Wi-Fi 5.

Em termos de fotografia, as câmeras triplas na traseira devem começar a ser mais comuns nesses aparelhos. O Snapdragon 665 suporta lentes tele com zoom óptico de até 5x, wide e super wide angle. Então, devem rolar fotos bacanas em modo retrato, vídeos em HDR e slow motion com qualidade HD (720p).

Combinando essas especificações com inteligência artificial, a Qualcomm disse que será possível, por exemplo, usar modos de detecção de cena, capturar imagens com pouca luz, diferentes modos de iluminação no modo retrato e tradução de texto com realidade aumentada (pense em algo assim: você aponta o celular para algo em inglês e um software consegue traduzir o texto alterando a própria imagem).

Snapdragon 730 e 730G

A linha Snapdragon 700 não chegou a ser lançada no Brasil, mas ela abriga smartphones intermediários quase topo de linha. Segundo Hélio Oyama, diretor de gerenciamento de produtos da Qualcomm, esta série foi feita especialmente para os chineses. Para você ter ideia, os smartphones Xiaomi Mi 8 SE e o Vivo Nex A vinham com o Snapdragon 710.

Bem, o 730 e o 730G são uma evolução do 710. Eles têm CPU Kryo 470 (octa-core, sendo dois núcleos de alta performance de 2,2 GHz e outros seis de 1,8 GHz). A GPU deles é Adreno 618 — aqui o 730G (o G aqui significa gamer) se diferencia um pouco, pois a GPU funciona em um clock maior que o do 730 convencional.

A Qualcomm diz que jogos como PUBG, Honor of Kings, Clan of Intrigue e Soul of Hunter já estão otimizados para os chips.

Na parte de conectividade, o modem é o X15, que suporta internet móvel de até 800 Mbps, além de já vir com suporte à Wi-Fi 6 que, nominalmente, pode atingir 9,6 Gbps. O 730G, por ser voltado para smartphones gamers, conta com um gerenciador de latência, que ajuda a otimizar a rede local para evitar atrasos em jogos. Sem contar que ele também tem suporte a games em HDR.

No quesito fotografia, ele suporta câmeras de até 48 megapixels e suporta HEIF — além de proporcionar fotos menores, o formato possibilita fazer pós edições em imagens, pois capta mais informações. O chip suporta diferentes configurações de câmera com possibilidade de ter um sensor de até 192 megapixels. Um dos destaques é o fato do SoC contar com aceleração de DSP (Digital Signal Processor). Este microprocessador possibilita processar efeito bokeh dentro do módulo de imagem, além de possibilitar modo noturno — que ajuda a corrigir problemas de cenas com pouca luz.

Para quem curte vídeo, é possível gravar em 4K HDR e ainda aplicar efeito bokeh em vídeos.

Na parte de inteligência artificial, além das questões de processamento de imagem, os chips contam com o acelerador Tensor para melhorar o processamento local desse tipo de tarefa. Na prática, isso deve ajudar bastante em controles feitos para assistentes de voz do dispositivo.