Após irregularidades, Anvisa suspende vendas de produtos da Fugini

Lotes de maionese da Fugini devem ser recolhidos dos supermercados devido ao uso de matéria-prima vencida na fabricação
Anvisa suspende comercialização de produtos da marca Fugini
Imagem: Fugini/Instagram/Reprodução

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) suspendeu na última quarta-feira (29) a fabricação, comercialização, distribuição e uso de alimentos da marca Fugini. 

Segundo o órgão, foram identificadas “falhas graves de boas práticas de fabricação relacionadas à higiene, controle de qualidade e segurança das matérias-primas, controle de pragas e rastreabilidade, entre outras”. 

A medida vale para a fábrica de Monte Alto, no interior de São Paulo. Ela não tem prazo pré-definido para ser concluída. Na verdade, a questão depende da própria companhia em adequar seus processos de produção. 

A Fugini se pronunciou nas redes sociais. Em publicação no Instagram, a marca disse que “todos os produtos Fugini que se encontram para consumo nas casas, à venda nos mercados ou estocados nos centros de distribuição, seguem seguros e disponíveis para os consumidores.”

A informação não bate com aquela divulgada pela Anvisa. A agência se comprometeu a publicar nesta quinta-feira (30) uma resolução pedindo a retirada dos mercados de lotes de maionese produzidos em Monte Alto entre 20/12/2022 e 21/03/2023. 

Assine a newsletter do Giz Brasil

Entram na conta os pacotes de maionese da marca Fugini com vencimento em janeiro, fevereiro ou março de 2024. A proibição vale ainda para todos os lotes que irão vencer em dezembro de 2023, com numeração iniciada por 354.

A Anvisa adotou a medida devido ao uso de matéria-prima vencida na fabricação da maionese. Estabelecimentos e consumidores que tiveram lotes com as características indicadas acima devem entrar em contato com a Fugini para que a empresa faça o recolhimento.

Em nota à imprensa enviada ao Giz Brasil, a Associação Brasileira dos Processadores e Utilizadores de Tomate Industrial (TOMATE BR) declarou que “A Fugini Alimentos passou por um processo de auditoria como qualquer outra empresa passa constantemente, o que gerou uma ordem para alteração de alguns processos e procedimentos. Os ajustes indicados pela equipe da Anvisa que se adequam a uma empresa de alimentos assim serão feitos, os que não se aplicam, serão pela Fugini devidamente questionados”, diz o texto.

“Dessa maneira, a TOMATE BR repudia veiculações falsas ou qualquer viés especulatório que essa notícia possa vir a ter e se compromete a manter o público informado corretamente. Nos orgulhamos de ser uma entidade que representa uma parte importante do agronegócio brasileiro formada por empresas diariamente focadas no compromisso com a transparência e melhoria contínua”.

Carolina Fioratti

Carolina Fioratti

Repórter responsável pela cobertura de saúde e ciência, com passagem pela Revista Superinteressante. Entusiasta de temas e pautas sociais, está sempre pronta para novas discussões.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas