Desde o início dos tempos — o que perdeu todo o significado neste momento — um novo iPhone é apresentado em setembro. É possível que o evento da Apple na próxima semana siga esse roteiro, mas pela primeira vez em muito tempo, podemos não ver um novo celular da Apple.

Rumores dizem que, devido aos atrasos na produção causados ​​pelo COVID-19, a Apple pode adiar seu evento do iPhone para outubro. Mas ainda há um evento marcado! Sim, porque há outros produtos — muitos deles, na verdade.

Há uma grande fila de coisas esperando para sair do Apple Park e ir para as lojas. Aqui está o que esperamos ver (e o que pode não aparecer) no evento que será transmitido ao vivo da próxima semana.

Nada de novo iPhone

Como já dissemos, os atrasos na produção podem ter adiado a data de entrega do iPhone. Nos anos anteriores, a Apple mostrou o aparelho em setembro mesmo assim. Mas este ano parece mais provável que a Apple espere até outubro para anunciar o novo smartphone.

Mark Gurman, da Bloomberg, especula que um Apple Watch e um iPad serão o foco do evento da próxima semana, enquanto o iPhone 12 será mostrado em outubro e um evento apenas para o novo Mac com processador ARM acontecerá em novembro.

Tradução: Dado que não haverá viagem para Cupertino [cidade onde fica a sede da Apple] devido ao COVID-19, faz sentido para a Apple dividir os eventos mais do que normalmente faria, já que essencialmente seria apenas cortes de vídeo [de apresentação]. Talvez teremos um evento da Apple dividido em três partes: setembro (Apple Watch/iPad), outubro (iPhone), novembro (Mac).

Vários relógios

O convite da Apple para a imprensa (que assistirá ao evento por streaming em vez de ir ao Apple Park) incluiu a frase: “O tempo voa”.

Sacou? Tempo! Devem estar falando de um relógio, portanto. Mas um relógio nunca foi a atração principal de um evento da Apple, o que me leva a crer que rumores de vários relógios — um dispositivo premium e um mais barato — poderiam ser plausíveis.

Uma reportagem recente da Bloomberg indica que a Apple está planejando substituir o Apple Watch Series 3 — que foi lançado há três anos e está sentindo a idade em comparação com os smartwatches mais recentes — por um modelo atualizado, mas ainda acessível. O relógio mais barato poderia apresentar recursos avançados de saúde, como detecção de queda, mas abrir mão de uma tela maior como forma de reduzir seu preço.

Espera-se que o carro-chefe Series 6 inclua ainda mais recursos de saúde avançados do que vimos nos modelos anteriores. Estamos esperando um sensor de SpO2, que detecta o nível de oxigênio no sangue e pode ser usado para diagnosticar problemas respiratórios.

Parece que a Apple não recebeu autorização da Food and Drug Administration dos EUA para quaisquer novos recursos médicos, mas a empresa também pode ter mantido em segredo a autorização do seu eletrocardiograma em segredo até o lançamento. Tudo é possível.

Atrasos nos lançamentos de sistemas operacionais

Seria um pouco estranho para a Apple lançar o Watch sem um iPhone — embora os dois funcionem de maneira independente um do outro, especialmente se você comprar uma versão com 4G do relógio, ainda não é possível usar a versão mais recente do watchOS sem o iOS mais recente.

Se a Apple adiar os novos iPhones, pode adiar o lançamento do iOS 14 também — e isso significa que terá que adiar o lançamento do watchOS 7, que inclui um monte de novos recursos, incluindo rastreamento do sono e detecção da lavagem das mãos.

Um novo iPad Air

Rumores dizem que um iPad Air atualizado terá o centro das atenções ao lado de novos relógios na terça-feira. Espera-se que o tablet de 11 polegadas se pareça mais com um iPad Pro, com uma tela maior, molduras mais estreitas e identificação facial substituindo o sensor de impressão digital. Ele também pode ser compatível com o Magic Keyboard do iPad Pro de 11 polegadas, o que seria interessante para quem quer um acessório de última geração sem gastar US$ 800 em modelo Pro.

Projetos paralelos de longa gestação

Vários produtos menos importantes podem dar as caras no evento. É o caso dos headphones Apple que, segundo rumores, serão chamados de AirPods Studio, além de um alto-falante HomePod atualizado, que pode ser muito menor e mais barato do que o grandalhão que foi muito mal em vendas até o momento. Rumores sobre esses produtos circulam desde antes da WWDC.

Há também as tão esperadas AirTags, que devem ajudá-lo a rastrear itens que você perde com frequência. Mas se este evento é todo sobre o Apple Watch e o iPad, pode fazer mais sentido que as AirTags sejam anunciados junto com o iPhone, que é um aparelho muito mais fácil de perder.

Mais uma coisa…

Finalmente, pode haver o clássico “mais uma coisa”: o primeiro Mac com processador Apple. Mesmo assim, embora isso seja possível — nem que seja um teaser do computador –, é muito mais provável que a empresa dedique um evento separado para isso, como fez para o MacBook Pro com Touch Bar em outubro de 2016 e para o ​​MacBook Air em outubro de 2018.

O evento de setembro da Apple começa às 14h (horário de Brasília) na terça-feira, 15 de setembro. A Apple fará o streaming do evento em seu site e vamos acompanhar tudo sobre as novidades aqui no Gizmodo Brasil.