A cada semana chegam mais e mais novidades nos catálogos dos serviços de streaming de Netflix, Prime Vídeo, Disney+ e Globoplay. Por isso, o Gizmodo Brasil separou alguns títulos que você pode se interessar, como a nova série da Marvel e um dos grandes sucessos do ator e diretor Clint Eastwood. Confira:

Disney+  

Falcão e o Soldado Invernal (1 temporada) (2021)

Juntando a dupla Falcão (Anthony Mackie) e Soldado Invernal (Sebastian Stan), a nova série da Marvel traz um mundo que lida com as consequências dos eventos de Vingadores: Ultimato. O primeiro dos seis episódios estreou nesta sexta-feira (19), mostrando que cada um dos personagens terá o seu momento e desenvolvimento ao longo da trama, com motivações pessoais e políticas entrelaçadas, especialmente com toda a simbologia envolvendo o Capitão América, os seus feitos e a importância de seu escudo.

Com o retorno de Sharon Carter (Emily VanCamp), Barão Zemo (Daniel Brühl), Máquina de Combate (Don Cheadle), Batroc (Georges St-Pierre) e o acréscimo do novo vilão, John Walker (Wyatt Russell), a obra promete ser um sucesso garantido e duradouro, mesmo com o ritmo controlado e os episódios semanais, assim como sua antecessora, WandaVision. Caso queira se preparar para assistir, montamos um pequeno guia com os filmes que mais irão te ajudar a entender a história e suas referências aos acontecimentos passados.

Netflix

O Reino Perdido dos Piratas (1 temporada) (2021) 

Se tem algo que a Netflix consegue acertar são seus documentários, especialmente nas produções originais. Com mais um título curioso em seu catálogo, O Reino Perdido dos Piratas conta as histórias dos verdadeiros piratas do Caribe durante o século 18, como o infame Charles Vane, a irlandesa Anne Bonny e o famoso Barba Negra, que se tornou um personagem de obras como o anime One Piece e das adaptações de Peter Pan.

Contendo reencenações dramáticas e depoimentos de acadêmicos, o documentário apresenta a formação de uma nova “república pirata” que, de forma surpreendente, era a favor dos direitos igualitários — o que nos faz pensar no pouco (ou nada) que conhecemos sobre eles. Com seis episódios de até 45 minutos, é uma sugestão que dá pra conferir em apenas um dia de maratona. E se você curtir a temática, ainda pode conferir a série ficcional Black Sails, que acompanha as aventuras do Capitão Flint e seus homens, 20 anos antes dos acontecimentos do clássico A Ilha do Tesouro de Robert Louis Stevenson.

Prime Vídeo

Menina de Ouro (2004)

Clint Eastwood pode até ser conhecido pelos filmes em que interpreta personagens durões e anti-heróis, mas enquanto diretor, ele também tem seus grandes feitos. Dentre eles, está a obra Menina de Ouro, o grande vencedor do Oscar de 2005. Com nomes grandes da indústria como Morgan Freeman e Hillary Swank, o filme conta a história de Frankie (Eastwood), um treinador de boxe que possui uma relação conturbada com sua filha, por ter problemas em se relacionar com as pessoas. Por isso, seu único amigo é Scrap (Freeman), um ex-boxeador e aluno.

Contudo, tudo muda quando conhece Maggie Fitzgerald (Swank), uma garçonete que sonha em ser uma lutadora profissional, especialmente por encontrar na atividade uma forma de ganhar dinheiro e ajudar sua família. É um drama na medida certa, que deixa claro a sua real mensagem com a dinâmica entre o trio principal. Com diversas cenas lembradas até hoje, trouxe um debate importante sobre eutanásia, um assunto que ainda hoje é delicado de ser retratado. Mas, pelas ótimas atuações e a jornada de Fitzgerald, vale a pena dar uma chance.

Cena do filme “Menina de ouro”. Imagem: Warner Bros. Entertainment Inc.

Globoplay

Os Maias (2001)

Muitas produções nacionais homenageiam grandes nomes da literatura, como O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna, ou Ciranda de Pedra, de Lygia Fagundes Telles. Mas, nesta indicação, temos a minissérie clássica  , baseada no romance homônimo do escritor português Eça de Queiroz. Dividida em duas partes, a história traz um quê de Tristão e Isolda e Romeu e Julieta: Pedro da Maia (Leonardo Vieira) se apaixona por Maria Monforte (Simone Spoladore), mas por conta do passado do pai da moça, o patriarca da família Maia não aceita o relacionamento.

Assine a newsletter do Gizmodo

Mesmo assim, o casamento entre eles ocorre, e o casal tem dois filhos. Mas um infeliz acidente traz uma reviravolta inesperada neste relacionamento, e a partir dele toda a dinâmica da história muda, criando momentos que a tornaram um sucesso que ultrapassou fronteiras e gerações. Escrita por Maria Adelaide Amaral e narrada por Raul Cortez, é uma das produções televisivas brasileiras mais aclamada por parte da crítica e do público, junto de outras como Amazônia, Hoje é dia de Maria e A Casa das Sete Mulheres. Vale a pena conferir, além de prestigiar a um conteúdo nacional de qualidade.

Esquenta para o Oscar 

Com a divulgação dos concorrentes ao Oscar 2021, recomendamos o filme Rosa e Momo, que recebeu uma indicação por sua música-tema. Com produção italiana, traz a lendária atriz e cantora italiana Sophia Loren em uma atuação marcante. Baseado no romance La Vie devant soi do francês Romain Gary, publicado no Brasil com o título A vida pela frente, é considerada uma das obras francesas de maior sucesso do século 20.

Na história, uma sobrevivente do Holocausto (Loren) abre as portas de sua casa, onde cuida de várias outras crianças, para um jovem chamado Momo (Ibrahima Gueye), que vive nas ruas à base de pequenos roubos. A partir deste acolhimento, uma amizade improvável se inicia. Tanto a história de Momo quanto a de Rosa são fortes e carregadas de simbolismos. Com seus noventa e quatro minutos de duração, é uma obra impactante e memorável, especialmente pela presença e atuação irretocável de Sophia Loren.