Barbante? Macarrão? Alienígenas? Após muita especulação, a NASA publicou um artigo onde explica a provável origem de um estranho objeto fibroso encontrado recentemente pelo rover Perseverance, na superfície de Marte.

A agência espacial afirma que o objeto fazia parte do equipamento de pouso do rover –que chegou ao planeta vermelho em fevereiro do ano passado. A suspeita é que ele seja um pedaço da manta térmica utilizada para regular a temperatura e proteger o Perseverance durante a entrada na atmosfera marciana.

A NASA explica que o “barbante” é um tipo de fibra de poliéster, que acabou sendo desfiado e triturado após ser submetido a “fortes forças”. Por mais que o objeto possa ter se soltado no ar – durante o procedimento de pouso –, é mais provável que ele tenha sido transportado pelo vento após a queda na superfície.

Como o objeto não foi mais visto dois dias depois, a NASA concluiu que ele é leve o suficiente para ser facilmente levado pelo ar. Vale lembrar que o local do pouso do rover –a cratera Jezero– é atingido regularmente por fortes rajadas de vento. Inclusive, o Perseverance, teve um de seus sensores meteorológicos danificado por uma tempestade de areia.

O pouso do rover em Marte

Para chegar em segurança à superfície de Marte, o rover Perseverance –que tem o tamanho de um carro– utiliza um sistema complexo de pouso, que envolve escudos térmicos, paraquedas, retrofoguetes e, até mesmo, um tipo de guindaste, tudo isso funcionando de forma automática e autônoma. O procedimento pode ser visto no vídeo abaixo:

Após soltar o Perseverance na superfície, o sistema voa para longe, para que ele caia a uma distância segura do rover.

Parte desse sistema de pouso foi fotografado em abril pelo helicóptero Ingenuity – que chegou em Marte junto com o Perseverance. Na imagem abaixo, é possível ver que o equipamento quebrou em vários pedaços menores ao bater contra a superfície.

Destroços do sistema de pouso do Perseverance, em Marte

Apesar desses destroços estarem a 1 km do local de pouso do rover da NASA, os componentes mais leves podem invariavelmente acabar sendo levados pelo vento, como é o caso de um pedaço de “papel alumínio” incrustado entre as pedras, assim como o objeto fibroso recém-fotografado.

Segundo a NASA, pedaços menores do sistema de pouso já foram vistos a cerca de 2 quilômetros do local da queda. Pelo menos 6 peças já foram catalogadas.

O estudo desses destroços é de interesse para a NASA, pois é possível entender como esses materiais se comportam durante o procedimento de pouso, ajudando a melhorar os componentes de missões futuras.

Além disso, existe a preocupação com o aumento do lixo espacial em Marte, a possibilidade de que esses materiais venham a contaminar as amostras coletadas no solo marciano, assim como um detrito vir a se enroscar ao Perseverance e atrapalhar o seu funcionamento.

Leia também:

– Tempestade de areia em Marte provoca danos no Perseverance da NASA

– Rover Perseverance encontra rocha crucial para buscar vida em Marte