O serviço de streaming de jogos do Google, o Stadia, foi anunciado. Junto com ele vêm novos controles específicos para a plataforma. E, nesse elegante controle, está um botão que lhe permite iniciar o Google Assistente. O quê?

“Ao pressionar esse botão, os jogadores podem acessar imediatamente o microfone embutido no controle para que possam obter ajuda do Assistente para recursos especiais do jogo integrados por desenvolvedores de jogos”, explicou Phil Harrison, do Google, no palco da GDC.

Mas o que isso significa, Google? O caso de uso mais óbvio é a apresentação de tutoriais no YouTube com o apertar de um botão. Na demonstração no palco, Harrison apresentou um caso em que um jogador preso numa fase de Tomb Raider podia pedir ao Assistente para puxar o vídeo exato, na altura exata, para mostrar a um jogador como passar por ela sem ter de abrir um dispositivo secundário.

Claro, muito bem. É reconhecidamente irritante pausar um jogo, puxar um vídeo no YouTube ou procurar um tutorial para te ajudar a passar de fase. Mas isso também parece um método de criar uma backdoor à força para fazer o Google Assistente entrar em mais casas. Certamente, isso não pode ser a única coisa que Harrison quis dizer com “recursos especiais dentro do jogo”.

O que são recursos especiais dentro do jogo? Por exemplo, cenas de cortes especiais ou missões secundárias que você só pode acessar dizendo “Ei, Google, siga aquele NPC [personagem não jogável] suspeito por aquele túnel assustador por causa do comentário enigmático que ele fez”? Potencialmente, usos piores, como: “Ei, Google, compre uma loot box, por que não, não é mesmo?” Ninguém pediu isso, Google. Provavelmente, essa funcionalidade será usada para acender e apagar as luzes da sala do usuário durante uma longa sessão de jogo. Legal.

No entanto, não adianta procurar o Google para obter respostas a essas perguntas. Um porta-voz da empresa disse ao Gizmodo que “todos os detalhes que temos atualmente para compartilhar foram divulgados durante a apresentação”.