O Google aproveitou seu evento de aparelhos para casa e entretenimento desta quarta-feira (30) para apresentar dois novos smartphones da linha Pixel: o Pixel 4a 5G e o Pixel 5, ambos com suporte a redes 5G. O primeiro custa US$ 499, enquanto o segundo sai por US$ 699.

O modelo mais caro não chega a fazer frente aos topos de linha de outras marcas, enquanto o modelo mais barato pega muita coisa emprestada dele e põe em um pacote até interessante. Vamos aos detalhes de cada um.

Pixel 5

O Pixel 5 é o aparelho mais caro do Google, mas não chega a ser um topo de linha como os que estamos acostumados a ver em outras marcas. Ele tem especificações avançadas, mas está posicionado um degrau abaixo de monstros como o Galaxy Note 20 Ultra — o que faz sentido ao pensar que ele não chega nem perto da barreira dos US$ 1.000.

Ele vem com processador Snapdragon 765G, da Qualcomm, 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento, tela OLED Full HD+ de 6 polegadas com taxa de atualização de 90 HZ e câmera dupla.

 

Não é ruim, mas perde um pouco a graça ao comparar com um aparelho como o Galaxy S20 FE da Samsung, que conta com Snapdragon 865 (mais potente), 6 GB de RAM, câmera tripla e tela de 120 Hz pelos mesmos US$ 699.

Por outro lado, o trunfo do Google na linha Pixel sempre foi o software e a capacidade de usá-lo para fazer mais com hardware mais modesto.

Nas câmeras, além dos recursos que já vimos nos aparelhos passados, como o Night Sight (modo noturno que otimiza imagens escuras) e Top Shot (que escolhe automaticamente a melhor foto em uma sequência de cliques), há novidades em foto, como a combinação do modo noturno com o modo retrato e um novo modo de iluminação, e principalmente em vídeo, como o modo de estabilização Cinematic Pan, que promete dar um aspecto hollywoodiano para suas filmagens.

Outro recurso de software interessante é o Extreme Battery Saver (“economizador extremo de bateria”, em tradução livre), que permite que o usuário escolha somente os recursos e aplicativos mais essenciais do aparelho para fazer a bateria durar mais tempo quando não há uma tomada por perto.

O Pixel 5 ainda conta com carregamento rápido sem fio, carregamento sem fio reverso (para estojos fones de ouvido e demais acessórios, bem como para outros smartphones), e a bateria tem 4.080 mAh de capacidade. Por outro lado, o Google deixou de lado o sensor de movimento do Pixel 4 e colocou um leitor de impressões digitais convencional na traseira.

Além disso, como todo Pixel, ele vem com o compromisso de três anos de atualizações do Android e de segurança. Para ajudar o aparelho a durar, ele vem com proteção Gorilla Glass 6 na tela e resistência a água padrão IPX8.

Pixel 4a 5G

O Pixel 4a 5G pega emprestado o nome do aparelho lançado em agosto, mas tem algumas diferenças além da conectividade.

O chip é o mesmo Qualcomm Snapdragon 765G do Pixel 5, mas os 6 GB de RAM e os 128 GB de armazenamento continuam os mesmos do 4a sem 5G.

A tela também cresceu e foi de 5,8 polegadas no 4a para 6,2 polegadas no 4a 5G. Ela também ganhou suporte a profundidade de cores de 24 bits e a mais contraste, mas mantém a resolução FHD+ de 1080 x 2340 pixels. Nada de 90 Hz, porém.

A bateria, acompanhando as dimensões maiores do aparelho, teve sua capacidade aumentada de 3140 mAh para 3885 mAh — o Google diz que isso é suficiente para um dia de uso. Por outro lado, não há menção a carregamento rápido, o que é um pouco estranho.

As câmeras são as mesmas usadas no Pixel 5: um conjunto duplo na traseira, com um sensor principal de 12,2 megapixels e uma lente ultrawide com sensor de 16 MP, e uma câmera de 8 MP na frente. Os recursos de software também são basicamente os mesmos.

Por US$ 499, o Pixel 4a 5G parece um negócio bastante interessante (para quem mora no exterior, claro, já que o aparelho nunca foi lançado oficialmente no Brasil e nada indica que será dessa vez), já que traz muito do Pixel 5 a um preço bem mais baixo.