O Google vai inaugurar uma nova seção de segurança na Play Store para ajudar os usuários a identificar melhor os tipos de acesso a dados e permissões que os aplicativos Android têm em segundo plano. Por conta disso, os desenvolvedores serão obrigados a informar na descrição dos apps quais dados são coletados e para qual finalidade. Eles terão até 2022 para cumprir essa nova exigência.

Parece familiar? Essa é praticamente a mesma abordagem dos chamados rótulos “nutricionais” de privacidade de apps que a Apple lançou junto com o iOS 14. Na App Store, os usuários podem ver quais permissões uma empresa ou desenvolvedor está solicitando e quais dados serão utilizados antes mesmo de baixar um app.

A novidade proposta pelo Google também se baseia no App Tracking Transparency (ATT) lançado pela Apple há alguns dias em uma atualização do iOS 14. O recurso tem por objetivo fazer com que os aplicativos da App Store sejam mais transparentes com os usuários quanto à coleta e uso de dados. Além disso, permite que os donos de iPhone autorizem quando um app pode monitorar sua atividade no aparelho.

No caso do Android, o Google afirma que vai levar em consideração alguns critérios para que os apps continuem na App Store. Eles incluem:

  • práticas de segurança (como criptografia de dados);
  • se o desenvolvedor de um app precisa realmente coletar dados dos usuários para funcionar ou se eles têm a opção de compartilhar essas informações por conta própria;
  • se o app permite que os usuários solicite exclusão de seus dados da ferramenta casa prefiram desinstalar o serviço de seus celulares;
  • se a seção de segurança do app é verificada pelo próprio desenvolvedor ou por alguém terceirizado;
  • se os apps seguem a política da empresa para famílias e funções de controle parental.

“Se descobrirmos que um desenvolvedor deturpou os dados que forneceu e está violando a política, exigiremos que ele corrija isso”, disse o Google no blog Android Developers, anunciando a mudança.

Todos os aplicativos Android na Play Store serão obrigados a compartilhar essas informações, incluindo os aplicativos do Google. A empresa disse que vai compartilhar novos requisitos de política e recursos com os desenvolvedores já nos próximos meses, junto com orientações detalhadas sobre as políticas de privacidade, e antes do lançamento da próxima versão do Android. O Google também promete “fornecer novas maneiras de simplificar o controle para os usuários e automatizar o trabalho para os desenvolvedores”.

Usuários da Play Store começarão a ver a página de privacidade e segurança no início de 2022. Os desenvolvedores de apps, por sua vez, devem cumprir as novas políticas até o segundo trimestre de 2022, embora tenham acesso aos novos recursos um pouco antes, no final de 2021.

Atualmente, os usuários do Android precisam vasculhar manualmente o painel de configurações para verificar as permissões acessadas pelos aplicativos instalados. Na versão mobile da Play Store, há uma opção para expandir as permissões de cada app, mas leva cerca de três toques até ser acessada.

Assine a newsletter do Gizmodo

Mais informações devem ser divulgadas no próximo dia 18 de maio, quando será realizada mais uma edição da conferência Google I/O para desenvolvedores.