O Google quer convencer os consumidores de que os smartwatches continuam em alta. Em uma entrevista ao The Verge, o gerente de produtos do Android Wear, Jeff Chang, contou que a companhia está planejando o lançamento de dois smartwatches topo de linha com Android Wear 2.0 para o começo de 2017. Segundo ele, esses serão os primeiros relógios com a nova plataforma, que teve o lançamento adiado.

• Lenovo deixará de lançar smartwatches Moto por tempo indeterminado
• Asus ZenWatch 3 promete solucionar um dos maiores problemas dos smartwatches

Os dois smartwatches serão fabricados por um empresa parceira, numa proposta bem similar ao dos celulares Nexus. Enquanto o Google colabora com o design de hardware e integração de software, a outra companhia estampa sua marca e fica responsável pela fabricação e distribuição.

De acordo com Chang, outros smartwatches irão receber o Android Wear 2.0 após o lançamento dos dois modelos. A nova versão do sistema terá apps independentes do celular, notificações melhoradas, suporte ao Android Pay, controle de voz por meio do Google Assistant e novidades voltadas para exercícios físicos. Como já foi apontado há alguns meses, a maioria dos relógios serão atualizados, porém os mais antigos como o Moto 360 de 1ª geração e LG G Watch Square ficarão de fora.

Apesar da Lenovo ter indicado que deixará de lançar smartwatches por tempo indeterminado, alegando que “não existe mercado o suficiente para lançar um novo smartwatch neste momento”, Chang acredita que ainda há bastante potencial para o Android Wear. Novos dispositivos são esperados durante as primeiras feiras de tecnologia do ano que vem, como a CES, e o Google está interessado em promover esses lançamentos.

Além disso a empresa vê bastante vantagem em trabalhar com vários parceiros. “Permitimos muita diversidade com os nossos parceiros de hardware para atingir diferentes tipos de consumidores e preferências” contou Chang ao The Verge. Ele fiz ainda que a companhia está “bem otimista” sobre as perspectivas para os smartwatches. “É uma maratona, não uma corrida de curta distância. Essa categoria de produto veio para ficar”.

[The Verge]