O Departamento de Justiça dos EUA abriu uma investigação criminal para apurar a manipulação de criptomoedas populares, entre elas o bitcoin e o ethereum. Acredita-se que alguns negociadores estão manipulando preços das moedas digitais por meio de táticas ilegais, fazendo com que o valor suba ou desça de acordo com suas próprias estratégias.

• Suspeito de roubar equipamentos de bitcoin fugiu da prisão na Islândia e quis voltar
• Artista esconde código secreto com US$ 10 mil em criptomoedas em obras de arte com Lego

A Bloomberg aponta que a investigação está sendo coordenada em conjunto com a Comissão de Negociação de Contratos Futuros de Commodities. O preço do bitcoin, a criptomoeda mais popular, despencou no começo da manhã depois de a notícia começar a circular.

No momento em que escrevemos esse artigo, o bitcoin está avaliado em R$ 27.650 (cerca de US$ 7.320), 1,35% menos em relação ao dia anterior. A queda, se comparada ao dia 4 de maio, quando a moeda estava avaliada em R$ 34.500 (US$ 9.900), é de quase 20%.

Da Bloomberg:

Entre as táticas ilíticas procuradas pelo Departamento de Justiça estão o spoofing (negociação entre robôs do mesmo investidor) e transações fictícias – formas de trapaça que os reguladores tentam eliminar há anos dos mercados de ações. No spoofing, o negociador submete uma série de ordens e então as cancela quando o preço move na direção desejada. A transação fictícia envolve uma negociação falsa consigo mesmo para dar a falsa impressão de demanda no mercado, iludindo outras pessoas a negociar seus ativos. Procuradores estão examinando manipulações no Bitcoin e Ether, segundo pessoas envolvidas.

O bitcoin atingiu um recorde de US$ 19.783 em dezembro de 2017, depois de toda a loucura ao redor da criptomoeda durante o ano passado. Inúmeros negociadores novatos entraram no mercado quando ela atingiu seu ponto mais alto e ficaram desapontados quando tudo o que aconteceu foi a desvalorização.

A entrada de muitos investidores animados com o bitcoin se tornou um problema, uma vez que a moeda digital não é regulamentada de forma significativa. Algumas pessoas perderam milhares de dólares depois que o preço despencou e existem algumas histórias bem zoadas, é só dar uma passada no Reddit. Alguns azarados chegaram a vender suas casas para comprar Bitcoin, um investimento bobo por uma moeda imaginária que se parece um a grana no Banco Imobiliário.

Países como a China impuseram restrições pesadas na negociação de criptomoedas. Recentemente o país desativou mais de 600 computadores de mineração de bitcoin após uma companhia energética perceber picos suspeitos de uso. Outros países, como a Venezuela, tentaram ganhar algo com o boom desse mercado e lançaram suas próprias versões no blockchain.

Grandes nomes da tecnologia, incluindo Bill Gates, têm sido críticos do crescimento das criptomoedas e o uso desse dinheiro em negócios ilícitos, como tráfico de drogas.

“A principal característica das criptomoedas é sua anonimidade. Eu não acho que isso seja uma coisa boa”, disse Bill Gates durante uma participação no Ask Me Anything (Pergunte-me qualquer coisa) do Reddit, em fevereiro.

“A capacidade do governo de encontrar casos de lavagem de dinheiro, evasão fiscal e financiamento do terrorismo é uma coisa boa”, continuou Gates. “Neste momento as criptomoedas são utilizadas para comprar fentanil e outras drogas, então é um caso raro de tecnologia que tem causado mortes de uma maneira bem direta. Eu acho que a onda especulativa ao redor de ICOs e criptomoedas é super arriscada para quem pensa a longo prazo”.

Além de ser usado para comprar drogas ilícitas e se parecer com um esquema de pirâmide, o bitcoin também é terrível para o meio ambiente. Estimativas apontam a mineração de criptomoeda consumirá 7,7 gigawatts de eletricidade até o final deste ano. É energia suficiente para abastecer todo o país da Áustria.

Empresas como o Google proibiram a publicidade de criptomoedas em seus serviços por se tratar de um solo fértil para golpes. Mas só o tempo dirá se o governo dos EUA conseguirá reprimir a manipulação ilegal do Bitcoin. A criptomoeda parece estar aqui para ficar. Se valerá alguma coisa daqui a alguns anos, resta saber.

[Bloomberg]

Imagem do topo: Getty